Conecte-se conosco

Amazonas

Família de Roberto Jefferson, preso no Mensalão, ganha protagonismo no governo do Amazonas

Em troca de apoio, governador Wilson Lima, dá a irmão de Roberto Jefferson (PTB), Ricardo Luiz Monteiro Francisco, cargo de secretário no governo do Amazonas, na reforma administrativa enviada à Assembleia Legislativa (ALE).

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, um dos presos no esquema do Mensalão, trocou o apoio do partido ao governador Wilson Lima, por um cargo de secretário para o próprio irmão, Ricardo Luiz Monteiro Francisco, no governo do Amazonas, que deve assumir uma das novas secretarias da reforma administrativa no Estado a ser apresentada à Assembleia Legislativa (ALE).

Ao longo da trajetória política, Roberto Jefferson se alternou no papel de pedra e vidraça. O partido dele tem um dos maiores tempos de propaganda na televisão e 2,26% do Fundo Partidário deste ano, cerca de R$ 20 milhões.

Nos anos 1990, seu nome foi citado na CPI do Orçamento, que investigou um esquema de propinas a parlamentares. Em 2005, no exercício do sexto mandato de deputado federal, foi cassado por seus pares pelo Mensalão. Em 2012, foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a sete anos e 14 dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Cumpriu 14 meses da pena em um presídio de Niterói (RJ), até ser beneficiado por uma decisão do STF, de 2015, que o colocou em regime aberto. Em 2016, uma decisão do ministro Luís Roberto Barroso o favoreceu com um indulto, que extinguiu a punição.

Ricardo Francisco, além de irmão de Jefferson e membro da direção nacional do PTB, é tio da ex-deputada federal Cristiane Brasil (PTB) que foi impedida de assumir o Ministério do Trabalho na gestão do ex-presidente Michel Temer (MDB), após a notícia de que ela foi condenada pela Justiça do Trabalho por não pagar um antigo funcionário que era seu motorista e trabalhava 15 horas por dia.

Roberto Jefferson e Cristiane Brasil foram denunciados pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, no ano passado, de integrar uma organização criminosa de concessão de registros sindicais pelo Ministério do Trabalho. Na eleição de 2018, Cristiane obteve 10.002 votos e não conseguiu se reeleger.

Roberto Jefferson se especializou em manejar o PTB como moeda de troca em barganhas com os governos de plantão. Quando não está em agenda política, o ex-deputado, de 64 anos, costuma passar o fim de semana em sua casa em Comendador Levy Gasparian, município no interior fluminense. Gosta de pegar a moto Harley-Davidson Fat Boy e encarar a estrada em longos trajetos, que podem ter como destino cidades de Minas ou São Paulo.

O irmão Francisco, futuro secretário de Estado no Amazonas nunca foi secretário de Estado. É engenheiro, foi vice-prefeito e secretário de Planejamento de Petrópolis (RJ) , onde também atuou como diretor da Companhia de Desenvolvimento (Comdep). Foi secretário de Obras, diretor da Empresa de Urbanização da Cidade do Rio de Janeiro (Rio Urb). Em Juiz de Fora (MG), foi secretário de Indústria, Comércio, e Turismo. Em 2009, foi secretário da Fazenda no município de Magé (RJ), onde também atuou nas secretarias de Planejamento, Urbanismo e Habitação. Em abril de 2016, retornou para Juiz de Fora.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × quatro =