Conecte-se conosco

Amazonas

Humorista do Amazonas faz apelo emocionado: “Wilson de Miranda Lima, pare de me perseguir”

Thiago Caldeira, disse que está morando escondido porque está sendo perseguido pelo governador do Amazonas.

“Você não vai me calar. Eu peço ajuda ao povo de Parintins. Eu peço ajuda ao povo do Amazonas. Eu peço ajuda à Justiça. Eu apelo a cada um de vocês. Me ajudem. Porque eu estou simplesmente sem saída. Onde eu vou esse cidadão tá me perseguindo. Estou morando escondido porque esse cidadão tá me ameaçando, tá me intimidando. Senhor Wilson Miranda Lima, pare de me perseguir”.

O desabafo foi feito em vídeo postado nas redes sociais pelo humorista Thiago Caldeira, do personagem ‘Abdias, O Cabucão’, após denunciar que foi comunicado pelo prefeito de Parintins, Bi Garcia (UB), que não será mais o apresentador do Festival Folclórico da cidade, este ano.

Thiago Caldera é um dos humoristas mais conhecidos do Amazonas e um dos milhares de críticos do governador do Amazonas, Wilson Lima (UB), na gestão da pandemia. Ele perdeu o pai na segunda onda da Covid-19 e revoltou-se com a falta de oxigênio em Manaus. Postou vídeos com críticas ao governador e, por isso, passou a ser visto como um opositor.

Veja parte do desabafo do humorista:

Em um programa na Rádio Diário, com transmissão pela internet, ele disse, em tom de revolta, que perdeu o pai e seu maestro, Patrick Teclas, por causa da “incompetência de um governador corrupto”.

No mês passado o humorista recebeu uma intimação para comparecer à Delegacia Geral de Polícia, aonde foi ouvido sobre uma denúncia do governador, que o acusa de calúnia, injúria e difamação. Ele prestou depoimento, sem a presença de um advogado, e foi liberado.

O homorista recebeu a solidariedade do ex-governador do Amazonas Amazonino Mendes, que usou as redes sociais para repudiar a perseguição. “É inaceitável um governante perseguir um trabalhador, um artista, um pai de família, um enlutado que perdeu seu pai na pandemia, como tantas outras famílias amazonenses. Isso é torpe, indecoroso, indigno, odioso e merece o repúdio de todos nós”, escreveu Amazonino em postagem nas redes.

Amazonino disse, ainda, que a perseguição é uma atitude antidemocrática, típica de um déspota que não sabe viver com o contraditório, com a crítica. “Não bastasse tudo o que já passamos, agora somos surpreendidos por mais essa desastrosa atitude autoritária.” disse Amazonino, que publicou o vídeo de Abdias denunciando a perseguição.

O deputado Dermilson Chagas disse que a gestão de Wilson “está sendo marcada pelo descaso na saúde, com crianças sendo atendidas no chão e idosos seminus em macas sem lençóis em corredores de hospitais, e, sobretudo, pela falta de segurança pública, com assaltos a ônibus e residências, roubos, estupros, corpos esquartejados encontrados em malas, entre outros crimes hediondos”. Segundo, “Thiago Caldeira fez uma crítica como artista e não podemos aceitar que ele seja perseguido desta forma”.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro × 5 =