Conecte-se conosco

Economia

Endividados e inadimplentes crescem em setembro, aponta CNC

O percentual de famílias com contas ou dívidas em atraso também aumentou entre os meses de agosto e setembro de 2019, bem como em relação a setembro do ano anterior, para 24,5%.

O número de famílias com dívidas em atraso aumentou em setembro, segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O percentual de famílias com dívidas apresentou em setembro de 2019 a nona alta mensal consecutiva, alcançando 65,1% do total, o maior patamar desde julho de 2013 e o terceiro maior resultado da série histórica.


O percentual de famílias com contas ou dívidas em atraso também aumentou entre os meses de agosto e setembro de 2019, bem como em relação a setembro do ano anterior, para 24,5%. O percentual que relatou não ter condições de pagar suas contas em atraso aumentou apenas na comparação mensal, permanecendo em patamar inferior ao mesmo período do ano passado, totalizando 9,6% em setembro de 2019.

O percentual de famílias que relataram ter dívidas entre cheque pré-datado, cartão de crédito,
cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro alcançou 65,1% em setembro de 2019, o que representa uma alta em relação aos 64,8% observados em agosto de 2019. Também houve alta em relação a setembro de 2018, quando o indicador alcançou 60,7% do total de famílias.

O percentual de famílias com dívidas ou contas em atraso aumentou em setembro de 2019, na comparação com o mês imediatamente anterior, passando de 24,3% para 24,5% do total.

Também houve aumento do percentual de famílias inadimplentes em relação a setembro de 2018, que havia registrado 23,8% do total. O percentual de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso, por isso permaneceriam inadimplentes, aumentou na comparação mensal para 9,6% em setembro, ante 9,5% em agosto. O indicador havia alcançado 9,9% em setembro de 2018.

Nas comparações mensal e anual, o número de famílias endividadas apresentou tendências semelhantes entre as faixas de renda pesquisadas. Para as famílias que ganham até dez salários mínimos, o percentual de famílias com dívidas alcançou 66,2% em setembro de 2019, superior aos 66,1% observados em agosto de 2019 e, também, aos 61,7% de setembro de Para as famílias com renda acima de dez salários mínimos, o percentual de famílias endividadas aumentou, entre agosto e setembro de 2019, de 59,2% para 60,5%.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezenove − 2 =