Conecte-se conosco

Cultura

Christopher Plummer, astro de ‘A Noviça Rebelde’, morre aos 91 anos

Ator canadense teve uma premiada carreira no cinema, na televisão e no teatro e faleceu em sua casa em Connecticut, nos Estados Unidos, ao lado da esposa Elaine Taylor.

O ator canadense Christopher Plummer morreu nesta sexta-feira (5), em sua casa em Connecticut, nos Estados Unidos. A informação foi confirmada por sua família, que informou que ele estava ao lado da mulher, Elaine Taylor, em seus últimos momentos. Ele tinha 91 anos. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Plummer colecionou papéis importantes e diversos prêmios ao longo da carreira, que contemplou o teatro, o cinema e a televisão. Nas telonas, seu trabalho mais conhecido provavelmente foi o de Capitão Von Trapp, patriarca da família protagonista do musical “A Noviça Rebelde”, lançado em 1965.

Em 2012, ele se tornou o ator mais velho a vencer o Oscar, aos 82 anos, pelo longa “Toda Forma de Amor”. Na trama, ele interpretou um senhor que decide contar ao filho que está com câncer terminal e que é gay.

“Chris foi um homem extraordinário que amava e respeitava profundamente sua profissão, com ótimas maneiras à moda antiga, humor autodepreciativo e a música das palavras”, afirmou Lou Pitt, amigo e empresário de Plummer, à revista americana Variety.

“Ele era um tesouro nacional que apreciava profundamente suas raízes canadenses. Por meio de sua arte e de sua humanidade, ele tocou todos os nossos corações e sua vida lendária vai perdurar por gerações. Ele sempre estará conosco.”

Nascido em Toronto, Plummer iniciou a carreira aos 18 anos, nos palcos, após despertar o interesse de um crítico de teatro durante uma apresentação escolar. Poucos anos depois, ele fez sua estreia na TV numa versão filmada de “Otelo, o Mouro de Veneza”, de William Shakespeare.

Ele voltaria à obra nos anos 1980, desta vez na Broadway, ao lado de James Earl Jones. O bardo inglês esteve presente na carreira de Plummer em diversos momentos. Além de “Otelo”, ele ainda integrou montagens de “Macbeth”, “Romeu e Julieta”, “Júlio César”, “A Tempestade”, “Henrique 5º”, “Ricardo 3º”, “Antônio e Cleópatra”, “Noite de Reis”, “Conto do Inverno” e “Muito Barulho por Nada”.

O canadense foi indicado ao Tony, premiação máxima do teatro americano, sete vezes e venceu em duas ocasiões, pelo trabalho no musical “Cyrano”, criado por Anthony Burgess, e na peça “Barrymore”, de William Luce.

Também foram sete indicações e duas vitórias no Emmy, dedicado à televisão. As estatuetas vieram pela minissérie “Arthur Hailey’s the Moneychangers”, em que contracenou com Kirk Douglas, e pela narração no desenho animado “As Novas Aventuras de Madeline”.

Nos cinemas, “A Noviça Rebelde” foi um marco na carreira de Plummer. Maior bilheteria de seu tempo, o filme se inspirava na história real dos Von Trapp, uma família de músicos austríaca que foge de seu país às vésperas da Segunda Guerra Mundial. Estrelado por Julie Andrews, o musical venceu cinco Oscars e se tornou um clássico.

Nos anos seguintes, Plummer trabalharia em outros filmes de peso, na maioria das vezes em papéis coadjuvantes. Foi indicado ao Oscar três vezes, por “A Última Estação”, de 2009, por “Toda Forma de Amor”, pelo qual venceu, e mais recentemente por “Todo o Dinheiro do Mundo”, de 2017, em que teve que substituir Kevin Spacey e refilmar suas cenas, depois que o ator foi acusado de abusar de menores.

Reconhecido pela voz potente e marcante, Plummer também narrou e dublou diversas obras. As crianças podem ouvi-lo nas versões em inglês de animações como “Up: Altas Aventuras”, da Pixar, e “9: A Salvação”, produzida por Tim Burton. O ator ainda estava cotado para emprestar sua voz ao longa infantil “Heroes of the Golden Masks”, em fase de produção.

Também fazem parte da filmografia de Plummer “O Informante”, de Michael Mann, “Uma Mente Brilhante”, de Ron Howard, “Malcolm X”, de Spike Lee, e “O Mundo Imaginário de Dr. Parnassus” e “Os 12 Macacos”, ambos de Terry Gilliam.

Ainda na ativa, o ator atuou, em 2019, em “Verdade e Honra”, de Todd Robinson, e viveu o patriarca da família disfuncional de “Entre Facas e Segredos”, de Rian Johnson. Foram seus últimos papéis no cinema.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois × dois =