Conecte-se conosco

Brasil

“Serão dias difíceis”, diz presidente do consórcio de prefeituras sobre nova onda de Covid-19 no País

Alta de Covid e Influenza sobrecarregará serviços de saúde, diz Gean Loureiro, prefeito de Florianópolis e presidente do consórcio de prefeituras.

Gean Loureiro – Foto: Divulgação

O aumento de casos de Covid-19 e de Influenza, além dos quadros de coinfecção, chamados de Flurona, devem sobrecarregar os sistemas de saúde dos municípios, em especial aqueles que vivem do turismo, a partir dos próximos 15 dias, disse Gean Loureiro, prefeito de Florianópolis e presidente do Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras (Conectar).

“Serão dias difíceis”, disse Loureiro. “A situação preocupa. O secretário-executivo (do Ministério da Saúde, Rodrigo Otávio) informou que a expectativa para os próximos 15 dias é de avançar ainda mais a onda”, falou o prefeito à CNN nesta sexta-feira (7). Ele se reuniu com o secretário na última quinta-feira (6).

Ele destaca que, em Florianópolis, o setor de saúde já percebe o aumento da demanda por conta dos casos de Covid e Influenza. “Temos uma pressão sobre as unidades públicas e privadas muito grande que fez com que todos nós tivéssemos que trabalhar ampliando a estrutura de atendimento”, disse.

Nesta época do ano, a população de Florianópolis, como de outras cidades turísticas do país, dobra de tamanho, o que tende a aumentar a transmissão dos vírus, mesmo diante das medidas de contenção, e criar uma sobrecarga nos serviços de saúde, ressaltou Loureiro.

“Essa curva (de aumento de casos) a gente já esperava que acontecesse por causa da Ômicron, mas não de maneira tão intensa”, disse.

Apesar do aumento de casos e da pressão iminente sobre os serviços de saúde, Loureiro disse que não há uma ação conjunta dos municípios e do governo federal com relação a novas restrições. “Essa é uma decisão individual de cada município”, afirmou.

O prefeito revelou ainda que o Ministério trabalha para mudar a portaria que estabelece tempo de isolamento para pessoas infectadas pela Covid.

O secretário-executivo do Ministério disse na reunião com os representantes do consórcio, que, ainda nesta sexta-feira, o tempo de isolamento para assintomáticos deve cair para cinco dias, e sete dias para quem apresentou sintomas.

“O próprio Ministério firmou o compromisso de fazer a reavaliação técnica da portaria. Foi comprovado recentemente que o isolamento necessário para assintomáticos é de cinco dias, e de sintomáticos é de sete dias”, disse o prefeito.

Ele se colocou favorável à redução do tempo de isolamento e disse que a medida de ajudar a “repor as equipes de saúde” durante novo aumento de casos e demanda hospitalar.

30 milhões de testes encomendados

Na reunião entre o consórcio de prefeitos e Ministério da Saúde, ficou definida também a aquisição de testes, que serão distribuídos pela pasta para os municípios até o final de janeiro.

“Foi definida a aquisição de mais 30 milhões de testes do contrato que tem com a Fiocruz, e já inicia sua distribuição na segunda-feira, com 6 milhões de doses para chegar no município e 30 milhões até o final de janeiro”, disse Loureiro.

A definição foi acertada entre o consórcio e a Secretaria-Executiva do Ministério da Saúde na última quinta-feira (6). O consórcio pode vir a solicitar mais testes caso haja necessidade identificada pelos municípios, afirmou o prefeito de Florianópolis.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 2 =