Conecte-se conosco

Brasil

Polícia do Pará prende homem apontado como um dos maiores desmatadores da Amazônia

De acordo com os investigadores, o fazendeiro tem mais de R$ 40 milhões em multas aplicadas pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) por crimes ambientais.

Geraldo de Oliveira foi preso na quinta-feira (9); informação foi confirmada pela secretaria de segurança do estado. (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil do Pará prendeu no interior do estado um fazendeiro considerado um dos maiores desmatadores da Amazônia.

Geraldo de Oliveira, de 60 anos, foi preso na quinta-feira (9), e a informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança do Pará à CNN nesta sexta-feira (10).

De acordo com os investigadores, o fazendeiro tem mais de R$ 40 milhões em multas aplicadas pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) por crimes ambientais.

Geraldo de Oliveira foi preso em flagrante na Fazenda Ouro Verde, durante a operação “Outsiders”, por crimes ambientais.

Ele teria devastado cerca de mil hectares de terra dentro da Área de Proteção Ambiental Triunfo do Xingu, no município paraense de São Félix do Xingu (PA).

Geraldo desmatava a floresta para transformá-la em área de pasto e vender as madeiras derrubadas, segundo a Polícia.

Contra Geraldo, havia um mandado de prisão expedido pela Justiça desde 2019. Durante esse período ele obteve habeas corpus e retornou para a região, onde acabou preso nesta quinta (9). Dois funcionários da fazenda foram autuados e devem responder por porte ilegal de arma.

A operação “Outsiders” tem como objetivo coibir e combater o desmatamento em áreas de responsabilidade do Pará, além de punir os infratores.

A operação é coordenada pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, deflagrada junto às Polícias Militar, Civil e Científica, Corpo de Bombeiros Militar e Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará.

O nome da operação faz referência a forasteiro ou pessoas vindas de outros estados para atuar no desmatamento em terras no Pará.

A informação é da CNN Brasil.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 × dois =