Conecte-se conosco

Brasil

Manaus é a 19ª capital em novo ranking das melhores cidades para se viver no País, aponta IPS Brasil

As 20 piores notas estão na Amazônia, em especial em cidades baseadas com economia predatória de recursos naturais.

As melhores cidades para se viver no Brasil estão no interior de São Paulo, e as piores, na Amazônia. Manaus aparece em 19º lugar entre as 27 capitais. Os dados são de um ranking dos 5,7 mil municípios brasileiros que, pela primeira vez, usou no país o Índice de Progresso Social (IPS), uma metodologia internacional. O levantamento IPS Brasil empregou 52 indicadores para medir o atendimento a necessidades humanas básicas, fundamentos para o bem-estar e as oportunidades dadas aos moradores.

manaus-fica-em-19o-lugar-entre

manaus-fica-em-19o-lugar-entre
A cidade com o melhor resultado foi Gavião Peixoto (SP), que tem apenas 4,7 mil moradores, mas é um polo aeroespacial da Embraer. A pior nota foi dada a Uiramatã, no extremo Norte de Roraima. A cidade tem a maior proporção de população indígena no Brasil, o que explica o resultado: o IPS não mede indicadores voltados para os hábitos e a cultura indígenas. Assim, a nota refletiu os serviços precários do seu pequeno núcleo urbano.

Entre as 20 melhores notas, 13 ficam no interior paulista. As 20 piores notas estão na Amazônia, em especial em cidades baseadas com economia predatória de recursos naturais.

O coordenador do IPS Brasil, Beto Veríssimo, disse que a intenção do trabalho não é ranquear os maiores PIBs municipais. “Queremos saber se no fim do dia as pessoas estão vivendo melhor”, explica.

As cidades com pioresresultados do Brasil ilustram situações emblemáticas na Amazônia. Anapu (PA), o 11º pior, é a cidade do assassinato da missionária Dorothy Stang em 2005, e fica em uma região de muito desmatamento. Jacareacanga (PA) sofre com o garimpo e Trairão (PA), com a extração ilegal de madeira.

“A Amazônia temproblemas sociais mais críticos. É imensa e com logística difícil. Os municípios sofrem com as atividadesilegais, baseadas em economia predatória, que geram alguns benefícios concentrados, mas inibem a chegada de investimentos. A situação de segurança pública se agravou”, resume Veríssimo.

Capitais

Entre as capitais, as melhores notas foram para cidades planejadas. Brasília foi a vencedora, seguida de Goiânia, Belo Horizonte, Florianópolis e Curitiba. Na mesma lógica dos demais municípios, as capitais do Norte tiveram piores resultados. Além disso, o Rio e algumas capitais do Nordeste pontuaram mal.

“O IPS não tem indicador de renda, mas de certa forma consegue medir desigualdade social. Cidades mais desiguais são afetadas. Maceió e Rio são muito desiguais. Quem conhece as praias do Rio e de Maceió não vê de perto os problemas sociais”, diz Beto
Veríssimo.

As notas dos estados são uma média de todos os seus municípios. São Paulo teve o melhor resultado.

O IPS Brasil é uma colaboração entre o Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), Fundação Avina, Anattá Pesquisa e Desenvolvimento, Centro de Empreendedorismo da Amazônia, e o Social Progress Imperative.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + onze =