Conecte-se conosco

Brasil

Identificado primeiro caso suspeito em São Paulo de varíola de macacos; total no país vai a sete

Registros do Ministério da Saúde estão em seis estados. Não há diagnóstico confirmado no país.

Micrografia eletrônica de transmissão colorida de partículas do vírus da varíola do macaco (roxo) cultivadas e purificadas a partir de cultura de células. (Foto: NIAID/ Divulgação)

O Ministério da Saúde investiga sete casos de varíola dos macacos no Brasil após São Paulo notificar um possível infectado. As suspeitas se distribuem em seis estados, nos quais Rondônia lidera, com duas. Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Ceará, apuram uma possível infecção cada. Até o momento, a pasta não confirma diagnóstico no país.

Eram seis pacientes monitorados até o último sábado. Dados da sala da situação da pasta, que monitora a doença a nível nacional e internacional, apontam para 839 registros confirmados em 28 países fora da África, onde a doença é endêmica, até domingo. Os locais mais afetados estão na Europa: Reino Unido, que soma 225 casos, Espanha, com 149, Portugal, com 143.

Entre os sintomas mais comuns, febre, erupção cutânea e adenomegalia, isto é, o aumento de linfonodos no pescoço. Segundo a pasta, os casos suspeitos devem ser isolados e as pessoas com quem tiveram contato, monitoradas.

A varíola dos macacos passou a ser de notificação compulsória assim como a Covid-19. Com isso, profissionais de saúde são obrigados a reportar possíveis casos às secretarias de Saúde locais e estaduais, além do ministério.

As principais formas de transmissão são por meio de fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados. A orientação é usar máscaras e lavar as mãos para evitar o contágio. Cientistas e médicos ainda não conseguiram esclarecer porque o vírus está se propagando mais rapidamente.

A informação é do jornal O Globo.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 + 18 =