Conecte-se conosco

Amazonas

Síndrome Pediátrica ligadas à Covid tem 15 casos e duas mortes de crianças no Amazonas

Entre os casos confirmados de SIM-P, por faixa etária, cinco (33,3%) são crianças menores de um ano, sendo três do sexo feminino e dois do sexo masculino.

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) divulgou, nesta segunda-feira (11/01), nova atualização de casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) no Amazonas, por meio do Boletim de Vigilância Epidemiológica. Nesta atualização, sobe para 15 o número de casos registrados da síndrome no Amazonas. A doença está associada à Covid-19 e causa sintomas como conjuntivite, manchas no corpo e vômitos. Duas crianças morreram em decorrência dos sintomas.

Segundo o boletim, todos os casos foram notificados em Manaus, em razão da cidade possuir uma maior estrutura e recursos diagnósticos. No entanto, segue a distribuição de casos por município de residência: Manaus (11), Tabatinga (02), Careiro (01) e Manacapuru (01).

No Amazonas, entre os casos confirmados de SIM-P, por faixa etária, cinco (33,3%) são crianças menores de um ano, sendo três do sexo feminino e dois do sexo masculino. Outras cinco (33,3%) crianças na faixa etária de 1 a 4 anos, sendo quatro do sexo masculino e um do sexo feminino. Em menor porcentagem (20%), há três crianças na faixa etária de 5 a 8 anos, dois do sexo masculino e uma do sexo feminino. Na faixa etária de 10 a 13 anos, são duas crianças, sendo uma de cada sexo.

O diretor técnico da FVS-AM, Cristiano Fernandes, salienta a importância do olhar diferenciado do profissional de saúde para o diagnóstico da SIM-P em criança ou adolescente. “Diante do cenário de aumento de casos de Covid-19, é essencial a atenção dos profissionais para os pacientes que atendam os critérios clínicos e, assim, garantir o diagnóstico adequado e a investigação necessária”, avaliou.

Dos casos confirmados de Sim-P no Amazonas, dez pacientes apresentaram alta médica, três permanecem internados, sendo acompanhados por uma equipe multiprofissional, e dois evoluíram para óbito.

Monitoramento – Os casos são monitorados por uma equipe composta pela Comissão Estadual de Prevenção e Controle de Infecção em Serviços de Saúde (Ceciss/FVS-AM), do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs/FVS-AM), por meio da Coordenação Estadual de Vigilância Hospitalar (NVEH- FVS-AM); e por equipe formada por médicos infectologistas e pediátricos da Secretaria de Estado da Saúde (SES-AM).

SIM-P – Entre os sintomas da SIM-P, estão: febre elevada e persistente, acompanhada de pressão baixa; conjuntivite; manchas no corpo; diarréia; dor abdominal; náuseas; vômitos; e comprometimento respiratório, cardíaco e gastrointestinal, associado a marcadores de inflamação elevados e evidência de Covid-19.

Alerta

O Ministério da Saúde publicou, em maio de 2020, uma nota técnica alertando para a identificação precoce da síndrome. A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, afirmou que a Fundação já está realizando busca ativa de casos, conforme orientação do Ministério da Saúde, para investigação da doença.

A análise de possíveis casos é feita por uma equipe composta por membros da Comissão Estadual de Prevenção e Controle de Infecção em Serviços de Saúde (Ceciss/FVS-AM), do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs/FVS-AM), de técnico da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS), que presta consultoria à FVS-AM; e médicos infectologistas e pediátricos.

A Nota Técnica 28/2020 alerta profissionais de saúde e secretarias municipais de saúde sobre a possibilidade da ocorrência da SIM-P e orienta que a notificação dos casos suspeitos seja feita de forma imediata e obrigatória, de preferência pelo serviço de saúde que realizou o atendimento do caso.

O registro deve ser realizado em formulário de notificação do Ministério da Saúde, disponível por meio de link na internet, e a amostra laboratorial deve ser encaminhada ao Laboratório Central de Saúde Pública da FVS-AM (Lacen/FVS-AM).

Entre os sintomas da SIM-P estão febre elevada e persistente, acompanhada de pressão baixa, conjuntivite, manchas no corpo, diarreia, dor abdominal, náuseas e vômitos. Em alguns casos também pode haver comprometimentos respiratório, cardíaco e gastrointestinal, associados a marcadores de inflamação elevados e evidência de Covid-19 ocorrido anteriormente.

Atendimento

Pais e responsáveis de crianças que apresentarem sintomas da síndrome devem procurar atendimento em qualquer porta de entrada de urgência e emergência da rede estadual de saúde e em unidades da Atenção Básica, responsabilidade do município.

A unidade de tratamento para pacientes pediátricos que apresentarem a SIM-P é o Instituto de Saúde do Amazonas (Icam), que já é referência no atendimento de crianças e adolescentes acometidos pelo novo coronavírus. Casos que apresentem agravamento das funções cardíacas serão referenciados para o Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM).

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Need Help? Chat with us