Conecte-se conosco

Amazonas

Profissionais da saúde realizam manifestação para cobrar direitos trabalhistas ao governador do Amazonas, Wilson Lima

Caso governador do Amazonas não atenda o pleito, RDAs podem entrar em greve no Estado.

Técnicos em enfermagem contratados pelo Governo do Amazonas em Regime do Direito Administrativo (RDA) realizaram manifestação, nesta segunda-feira (13/06), para cobrar do governador Wilson Lima o pagamento de periculosidade (risco de vida) e de ticket-alimentação aos profissionais da saúde.

O ato público foi realizado na frente da sede do Governo, bairro Compensa II, zona oeste de Manaus, e deixou o trânsito parcialmente fechado no local durante a manhã. Com faixas e cartazes, os manifestantes cobraram um posicionamento do governador para resolver o pleito da categoria, que diz que o não pagamento de ticket-alimentação e nem o risco de vida atinge cerca de 6.442 trabalhadores e se arrasta desde janeiro de 2020.

Francisco José do Carmo, delegado federativo do Sindicato dos Trabalhadores em Santas Casas, Entidades Filantrópicas e Religiosas e Estabelecimentos de Saúde do Estado do Amazonas (Sindpriv-AM), informou que caso o governador Wilson ima não atenda o pleito da categoria, os profissionais em RDAs poderão realizar greve.

“Não veio ninguém do governo, representante do governo, nos receber. Nós vamos fazer uma assembleia, entrar com o aditivo de greve. Nós trabalhamos com todos os riscos de contaminação dentro de um hospital. Que o senhor (governador) nos dê o que é nosso. Não estamos pedindo. Estamos querendo o nosso direito”, disse o profissional da saúde.

“Somos temporários, mas não ganhamos como os demais. Estamos aqui indignados com esse governo, porque não somos respeitados. Precisamos de salário digno”, disse uma profissional em transmissão do portal Radar Amazônico.

“Nós só queremos o que é nosso de direito. Nós não tivemos os direitos de ficar nas nossas casas. Nós não tivemos esse direito em plena pandemia. Nós fomos para os hospitais, trabalhar. Nós botamos nossas cabeças a prêmio”, disse outra técnica em enfermagem em live.

Mais protesto

Um grupo de pessoas ligadas MLTI (Movimento de Luta dos Trabalhadores Independentes) também realizou manifestação cobrando moradias ofertadas pelo Governo do Amazonas.

Já a carreata dos escrivães e investigadores da Polícia Civil do Amazonas foi transferida para a próxima quarta-feira (15), conforme informou um dos líderes do movimento, o investigador James Figueiredo.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

8 − quatro =