Conecte-se conosco

Amazonas

Governo do Amazonas aumenta para meio milhão de reais por mês contrato para produção de vídeo

A gestão do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) fechou o seu terceiro ano com um recorde histórico de gastos com propaganda: foram mais de R$ 385 milhões via, apenas via Secom.

A Secretaria de Comunicação do Amazonas (Secom) aumentou para R$ 530,2 mil por mês o contrato com a empresa 1001 Filmes Produções e Eventos Ltda., para fazer o serviço de transmissão ao vivo e de produção de vídeos das solenidades para as redes sociais, com o governador Wilson Lima (PSC). O contrato aumentou R$ 423,5 mil e passou a ser de R$ 6,3 milhões.

Os valores são meramente estimativos, de forma que os pagamentos devidos dependerão dos quantitativos de serviços efetivamente prestados. Em dois anos de contrato, de acordo com o Portal da Transparência do Estado, a empresa já recebeu R$ 11 milhões.

A 1001 Filmes é dos sócios Tulio Mene Melo e Nilio Braga Portella, também donos da empresa de publicidade Mene e Portella, que também presta serviços para a Secom e já recebeu, em três anos de gestão do governador Wilson Lima, cerca de R$ 140 milhões, de também de acordo com o Portal da Transparência.

A gestão do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) fechou o seu terceiro ano com um recorde histórico de gastos com propaganda: foram mais de R$ 385 milhões via, apenas via Secom.

O dinheiro gasto na máquina da publicidade e propaganda nos últimos três anos daria para pagar nove meses do auxílio estadual, de R$ 150, para 300 mil famílias no Estado e teve valor maior que o estimado para o prêmio da Mega-Sena da Virada de 2021, de R$ 350 milhões.

Investigação

No ano passado, o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) instaurou procedimento preparatório para apurar os gastos do governo do Amazonas com publicidade no ano de 2020, tendo como beneficiária a empresa Kintaw Design e Publicidade Ltda., contratada pela Secretaria de Estado de Comunicação (Secom).

O procedimento foi instaurado pelo promotor da 78ª Promotoria de Justiça Especializada na Proteção do Patrimônio Público, Hilton Serra Viana, “considerando que é função institucional e dever do Ministério Público instaurar procedimento preparatório e inquérito civil, na forma da lei, para anulação ou declaração de nulidade de atos lesivos ao patrimônio público ou à moralidade administrativa do Estado ou do Município, de suas administrações indiretas ou fundacionais ou de entidades privadas de que participem”.

Gestão de Wilson Lima encerra 3º ano somando gastos de R$ 385 mi em publicidade e propaganda

 

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × 3 =