Conecte-se conosco

Amazonas

Ex-secretário de Saúde do AM aponta governador como mandante da compra de respiradores, diz UOL

Segundo o ex-secretário de saúde, os respiradores chegaram a Manaus por meio de um avião do estado quando ainda eram da adega.

O ex-secretário de Saúde do Amazonas Rodrigo Tobias declarou que o governador do estado, Wilson Lima (PSC), comandou a operação de compra de 28 respiradores superfaturados em 316% e inservíveis para covid-19 numa loja de vinhos, em plena pandemia e colapso do sistema de
saúde em Manaus. As informações são do UOL.

“No dia 3 de abril, à noite, o declarante se encontrou com o governador Wilson Lima no aeroporto para recebimento de uma carga de respiradores (vindos do Rio de Janeiro pelo avião da FAB), e nessa ocasião, o governador insistiu que o declarante se encontrasse com a pessoa de nome Alencar; Que então no dia 4, sábado, o declarante encontrou, pela primeira (sic), com o Alencar em seu gabinete”, afirma o documento do depoimento.

Segundo o ex-secretário de saúde, os respiradores chegaram a Manaus por meio de um avião do estado quando ainda eram da adega.

Em nota, o governo do Amazonas informou que não iria comentar informações de processo que tramita em segredo judicial. Informou também que “trabalha com transparência nas ações e com o fortalecimento dos sistemas de controle e que confia na Justiça”.

De acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR), o governador do Amazonas, Wilson Lima “comanda e orienta” uma organização criminosa que se instalou no estado aproveitando a pandemia do novo coronavírus para obter ganhos ilícitos. A casa e o gabinete dele foram alvos de busca e apreensão em junho.

Tobias e o empresário apontado como operador do governador foram presos temporariamente. O depoimento de Tobias apresenta a mesma narrativa, a respeito da participação do governador, do depoimento da gerente de compras da Susam, Alcineide Figueiredo, presa na primeira fase da Operação Sangria, que deu detalhes sobre o processo de fraude e superfaturamento, afirmando que o operador agia por indicação do governador e por conhecimento da Casa Civil, que na ocasião tinha como secretário-chefe o vice-governador.

A Sonoar comprou os respiradores de fornecedores em outros estados a um total de R$ 1.091.800,00 e vendeu por R$ 2.480.000,00, o que gerou um lucro de R$ 1.414.270,04 num intervalo de seis dias. O dinheiro foi enviado ao exterior, segundo investigações.

Em seu depoimento, o ex-secretário de Saúde Rodrigo Tobias, embora admita que plena consciência das irregularidades, nega que tenha participação na fraude de compra de respiradores na loja de vinhos.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =

Need Help? Chat with us