Conecte-se conosco

Amazonas

Em pré-campanha eleitoral, Wilson Lima anuncia correção abaixo da inflação e mais R$ 100 de auxílio alimentação para área de saúde

Em março do ano passado, a presidente do do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Área de Saúde do Amazonas, Cleudenir Socorro, informou que as perdas salariais da categoria desde 2016 já totalizavam mais de 23%.

Pressionado pelas pesquisas eleitorais que o mantém atrás na corrida eleitoral e pelas manifestações de protesto de diversos setores do funcionalismo público, o governador do Amazonas anunciou nesta quarta-feira (08/06) que os servidores estaduais da área da saúde, que estão com os vencimentos congelados desde 2019, receberão mais R$ 100 de auxílio alimentação a partir deste mês de junho e terão uma correção de 9,06% de datas-bases salariais, a partir de agosto.

Em março do ano passado, a presidente do do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Área de Saúde do Amazonas (Sindsaúde), Cleudenir Socorro, informou que as perdas salariais dos trabalhadores da categoria desde 2016 já totalizavam mais de 23%. O índice não incluía a inflação de 2021 nem de 2022. A inflação oficial – IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) – de 2021 foi de 10,06%. E a de 2022 já acumula alta de 4,78%. Só nos últimos 12 meses, a alta é de 11,73%, de acordo com o IBGE.

Segundo o governo, as medidas foram apresentadas pelo governador para representantes de 10 sindicatos de profissionais da categoria, durante reunião na sede do Governo do Amazonas. “Estou autorizando o pagamento de datas-bases de 2016 e 2020 a partir de agosto e, a partir deste mês de junho, a gente já paga o tíquete alimentação com o incremento de R$ 100, disse Wilson Lima, de acordo com informações as Secretaria de Comunicação do Estado.

O governador disse que as medidas – um direito legal dos trabalhadores – são “um reconhecimento à dedicação desses servidores que, diariamente, estão no ofício de salvar vidas, especialmente durante o período mais crítico da pandemia de Covid-19”.

Wilson Lima anunciou, ainda, que um decreto que promete normatizar a avaliação periódica de desempenho dos servidores estaduais. E prometeu iniciar “estudos necessários para o processo de progressão dos servidores, medida que deve ser viabilizada já no próximo ano”.

Ainda na esteira da pré-campanha eleitoral, governador está cumprindo parte da obrigação do governo com outras categorias. Ele anunciou que enviou para a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas na quarta-feira (08/06), o Projeto de Lei (PL) que cria a aposentadoria especial do servidor público da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM, para permitir a garantia da paridade e integralidade na concessão da aposentadoria.

E também anunciou que autorizouo pagamento de correção de 10% da data-base de 2021 para servidores estaduais do setor primário que atuam na Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) e Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf).

Pacote de maldades

No dia 15 de julho de 2019, o Diário Oficial do Estado do Amazonas publicou os projetos de lei do chamado ‘Pacote de Maldades’, do governador Wilson Lima (PSC), incluindo a Lei Complementar nº 198, de 15 de julho de 2019, que congelou todos os vencimentos e datas-bases dos servidores públicos do Estado.

Com as medidas, o governador criou um clima de insatisfação entre os servidores, que permanece até hoje. As medidas contra os reajustes salariais dos servidores públicos foram mantidas pelo governador, mesmo com o Estado batendo recordes históricos de arrecadação de impostos. Em pesquisa Ibope divulgada em novembro de 2020 pelo Grupo Rede Amazônica, Wilson Lima aparecia com 70% de rejeição.

Mais dinheiro: Governo do Amazonas tem R$ 2,3 bilhões a mais em receitas no 1º quadrimestre de 2022

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

16 + doze =