Conecte-se conosco

Amazonas

Desaparecimentos no Vale do Javari expõe aumento dos crimes violentos e da insegurança no Amazonas

Após registrar um aumento de 54% no número de assassinatos, o Amazonas se tornou o estado com maior taxa de mortes violentas do país em 2021.

A Globo News relembrou, nesta terça-feira (14/06), durante a cobertura do desaparecimento do indigenista Bruno Araújo e do jornalista Dom Phillips, no Vale do Javari, no Amazonas, que o Estado teve aumento na taxa de homicídios por 100 mil habitantes entre 2020 e 2021, na gestão do governador Wilson Lima (UB), de acordo com levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) divulgado pelo G1.


Após registrar um aumento de 54% no número de assassinatos, o Amazonas se tornou o estado com maior taxa de mortes violentas do país em 2021. Foram 36,8 vítimas para cada 100 mil habitantes. O índice criado pelo G1, tem parceria com FBSP e o Núcleo de Estudos da Violência da USP, e é baseado em dados dos 26 estados e do DF.

De acordo com Samira Bueno, diretora do FBSP, a violência no Amazonas, e nos estados da Amazônia Legal, é resultado da combinação do narcotráfico com crimes ambientais – como grilagem, garimpo ilegal e desmatamento – sem que haja um combate integrado e efetivo pelas autoridades.

“O estado vive uma sobreposição de crises no campo da segurança pública: por um lado, após um período de relativa estabilidade com o aparente monopólio do Comando Vermelho na região de Manaus, a violência voltou a crescer com lideranças da FDN se aliando a outros grupos criminosos para tentar reconquistar territórios estratégicos para o tráfico de drogas; por outro, o crescimento dos homicídios nas regiões em que avança o desmatamento indicam a profusão de conflitos fundiários e crimes ambientais que tem tomado a região”, explica ela.

“Os estados da Amazônia Legal vivem um desequilíbrio em decorrência da fragilização das instituições de fiscalização e de polícia para controlar os comportamentos criminosos na invasão de terra indígena, de grilagem, de madeira e mesmo da droga”, diz Bruno Paes Manso, do NEV-USP.

Uma das origens da violência no Amazonas é a expansão das facções criminosas do Sudeste, especialmente o PCC, de São Paulo, e o Comando Vermelho, do Rio, sem a repressão competente das autoridades policiais do Estado.

Manaus

Dados preliminares divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP) mostram que Manaus já soma 213 homicídios nos três primeiros meses de 2022. A média é de 71 homicídios por mês, ou mais de dois por dias. Como os dados são preliminares, os números ainda podem aumentar, de acordo com a revisão que poderá ser feita pelas autoridades policiais.

Homicídios aumentaram em Manaus após programa milionário lançado por  Wilson Lima, mostram dados da SSP

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

10 + 8 =