Conecte-se conosco

Amazonas

Cidadania e PSDB lançam Amazonino pré-candidato com ‘a força que vem do povo’

Amazonino disse que vai se manter “equidistante” na campanha presidencial, deixando o povo à vontade para escolher seu presidente.

Os partidos Cidadania e PSDB lançaram neste sábado (07/05), com o slogan “A força que vem do povo”, a pré-candidatura ao governo do Amazonas de Amazonino Mendes, com uma festa com grande participação popular, no Rancho Sertanejo, na zona centro-sul de Manaus. Na festa, Amazonino falou de esperança, de vida melhor e disse que lutará “até as últimas consequências” conta a fome que “assola o nosso povo”.

O deputado federal Luiz Carlos, da executiva nacional do PSDB, confirmou o apoio do partido a Amazonino, em nome do presidente da agremiação, Bruno Araújo. Em discurso, no evento, ele disse que Amazonino será o candidato da aliança com o Cidadania.

Durante o evento foram lançadas as pré-candidaturas de deputados federais e estaduais pela chapa PSDB-Cidadania. E festa teve também as presenças dos presidentes regionais do PSDB, Arthur Neto, e do Cidadania, Elcy Barroso Junior; e do presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire.
No discurso, Amazonino, anunciado sobe gritos de “volta Negão”, falou em “confraternização” em “trilha da esperança de ver um Amazonas livre e mais digno” e disse que o encontro dele com Arthur Neto foi o “encontro do Solimões com o Rio Negro”, para resgatar o Amazonas.

“Eu sou candidato ao governo não por mim. Já me deram a honra de quatro vezes administrar o Estado. Sou devedor do povo”, disse, destacando que é sua obrigação de devolver ao Estado. “O que nós temos agora é um governo presidido por um réu, um demandado da Justiça, um homem desconhecido, que bailava na televisão, que o povo acreditou em suas mentiras, quando dizia: a bronca é com nós”, afirmou.

“Existe uma diferença muito grande entre velha política e pessoas idosas. Nem sempre a pessoa idosa é velha nas ideias E nem sempre as pessoas jovens são jovens também no pensamento. O que nós temos aí é o exemplo dos mais dolorosos para o povo. Mentiu nos enganou e o resultado: nos devolveu a morte como prêmio. Milhares e milhares de conterrâneos perderam a vida asfixiados. Essas pessoas morreram porque nós não tínhamos governador aqui nessa terra. Temos um mentiroso, um sangue de barata, que deverá ser escorraçado. Pois terá que responder pelos seus crimes”, disse ele, sem citar o nome do governador Wilson Lima (UB).

Amazonino também disse que tem quatro mandatos e nunca teve a polícia federal na porta dele. “Lembrem-se: tenho quatro mandatos de governador. Três de prefeito da capital. Nunca a Polícia Federal bateu na minha porta. Esse daí, mal completou dois anos, já está ameaçado de ser preso. Envergonhou todo o Estado, quando o Brasil inteiro, estarrecido, comentou a famigerada compra de respiradores nunca casa de vinho, uma pouca vergonha”, discursou.

Amazonino disse que vai se manter “equidistante” na campanha presidencial, deixando o povo à vontade para escolher seu presidente. “O que o povo escolher eu vou aplaudir”, disse.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco + nove =