Conecte-se conosco

Amazonas

Amazonino fala sobre a crise da falta de segurança no Amazonas: “Há muita coisa podre por aí”

“Esse equívoco que tomou conta do Estado do Amazonas haverá de sumir”, disse o governador, em vídeo, na tarde desta segunda-feira.

O ex-governador do Amazonas, Amazonino Mendes (Podemos) divulgou vídeo, se manifestando a respeito da crise da falta de segurança pública no Estado, no último fim de semana. Segundo ele, “estão destruindo o Estado, que “desmoronou”. “Sofremos uma pandemia e nosso enfrentamento foi criminoso. Cruzamos os braços, fizemos entendimento com a corrupção. Resultou em milhares de mortes desnecessárias que enlutaram os lares. Isso já foi brutal. Mas como se já não bastasse, essa explosão do fim de semana”, disse.

Amazonino destacou que o “terror” passou a morar na vida do povo do Amazonas. “O narcotráfico veio batendo no peito, dizendo que quem manda aqui sou eu, não é o governador. Que vergonha, que torpeza. O Estado desmoralizado. A que ponto chegamos? Quem imaginaria que poderíamos sofrer esse vexame?”, afirmou.

Segundo o ex-governador, há narcotráfico em todo o pais. Mas ele perguntou: “porque que fizeram isso em Manaus?” E defendeu: “é preciso investigar”. Amazonino disse que desconfia, “que há muita coisa podre por aí”.

E encerrou o vídeo dizendo: “Tudo bem, tudo passa. Esse equívoco que tomou conta do Estado do Amazonas haverá de sumir. A chama da esperança não está morta. Minha solidariedade, meu abraço a todos”.

Ataques

Manaus e parte do interior do Amazonas sofre, desde o último sábado (05/06), uma série de ataques, com atos de incendiários contra transporte público, agências bancárias e outros estabelecimentos, numa onda de violência que praticamente paralisou a cidade.
Segundo o governo do Amazonas, os ataques foram realizados por integrantes de uma facção criminosa, em represália à morte de um traficante. Erick Batista Costa, conhecido como “Dadinho”, de 30 anos, foi morto em uma ação policial no sábado, no bairro Redenção.

Os ataques, que paralisaram vários serviços públicos nesta segunda-feira, inclusive transporte público e campanha de vacinação, teve vários veículos foram incendiados, e prédios públicos, depredados, incluindo delegacias. Houve registros de ataques também em pelo menos três cidades menores do interior do Amazonas.

Na maioria dos atentados, os criminosos usaram bombas de fabricação caseira, como coquetel molotov.
Mas houve também uma série de ataques a tiros, como contra um prédio do Distrito Integrado de Polícia (DIP) no centro de Manaus, na orla do Rio Negro. Nesse caso, homens aproveitaram a cheia histórica do rio para chegar em uma lancha.
Outro local que também sofreu ataques a tiros foi a sede do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram).

Até esta segunda-feira, 29 pessoas haviam sido presas suspeitas de envolvimento na onda de violência. O governador do Estado, Wilson Lima (PSC), se manifestou após mais de 12 horas do início dos ataques, informando que solicitou ao governo federal o envio da Força Nacional para ajudar a conter os criminosos.

Veja o vídeo no Facebook.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2019-2021 - 18 Horas - Todos os direitos reservados.
Rede de Rádio Difusão Novidade Técnica LTDA
34.503.722/0001-80