Conecte-se conosco

Amazonas

AM: deputado vai ao TCE contra governador por isenção de imposto a empresa de gás

Segundo o deputado Wilker Barreto, a decisão do governo pode gerar prejuízo de aproximadamente R$ 9 bilhões aos cofres públicos do Amazonas nos próximos 15 anos.

O deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) informou que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) acatou a representação que ele fez contra o governador Wilson Lima, em relação ao Decreto 40.709/2019, que alterou o regime diferenciado de tributação nas operações com gás natural, favorecendo a empresa Eneva, companhia brasileira que opera os serviços de exploração da substância no campo do Azulão, em Silves (AM). Segundo o deputado, a decisão do governo pode gerar prejuízo de aproximadamente R$ 9 bilhões aos cofres públicos do Amazonas nos próximos 15 anos.

O decreto, que entrou em vigor em maio dá isenção tributária a atividade de gás natural, beneficiando diretamente a Eneva, que vai deixar de pagar R$ 50 milhões por mês em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), informou o deputado. Segundo ele, a medida pode refletir diretamente nos serviços públicos e também nos repasses dos duodécimos aos órgãos que compõem os poderes Judiciário e Legislativo. A representação do parlamentar solicita ao TCE uma medida cautelar com urgência contra o Decreto.

Para Wilker, a decisão do Governo em mudar a cobrança tributária irá causar “dano irreparável ao erário, diante de dias difíceis que o Amazonas vem passando em relação a economia e a saúde, como a falta de pagamento do 13º aos funcionários do Estado, estoque de medicamentos zero em unidades de saúde, estruturas defasadas em hospitais e salários atrasados de técnicos de enfermagem”.

“Esse Decreto vai contra a moralidade do Estado – que não garante o pagamento do 13º salário aos servidores públicos estaduais – e a Lei de Responsabilidade Fiscal. O ato não se compatibiliza em nada com o interesse público”, disse Wilker.

O deputado argumenta, ainda, que o Decreto 4.709/2019 “configura crime de improbidade administrativa”. A representação do parlamentar foi acatada na última quarta-feira, dia 25, e assinada pela presidente do TCE, Yara Lins.

Na reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS), na última quinta-feira, 26, o governador Wilson Lima anunciou que a Eneva começara suas obras em Silves a partir do dia 11 de outubro, instalando equipamentos para perfuração e exploração do gás natural no Campo do Azulão.
A Eneva ganhou, em leilão, o direito de explorar o campo de gás natural Azulão, que foi descoberto em 1999 e vendido pela Petrobras em 2017, por U$ 54,4 milhões. A empresa atua em outros estados brasileiros com geração, venda e logística de energia elétrica. E empresa também ganhou leilão para o suprimento de energia elétrica em Roraima, com o gás do Amazonas.

Veja também:

AM: sem dinheiro para saúde e segurança, governo abre mão de milhões de reais para empresas de gás

Governo do Amazonas defende Decreto que dá incentivos para indústria milionária do gás natural

 

 

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

onze − um =