Conecte-se conosco

Mundo

Repressão da China leva a fechamento do terceiro jornal em Hong Kong, em seis meses

O jornal digital independente Citizen News anunciou nas redes sociais a decisão fechar nesta terça-feira (4/1), após a drástica redução da liberdade de imprensa e ameaças à integridade física dos jornalistas.

Chris Yeung, fundador do Citizen News (dir.), em entrevista coletiva anunciando o fechamento do jornal (Foto: Reprodução CNA Singapura)

Pressionado pela censura da China e ameaças ao jornalismo independente, mais um veículo de mídia de Hong Kong é levado a encerrar as operações, num ambiente de deterioração da liberdade de informar o público sem a influência do governo chinês.

Na noite de domingo (2/1), o jornal digital independente Citizen News anunciou nas redes sociais a decisão fechar nesta terça-feira (4/1), em consequência da drástica redução da liberdade de imprensa, com ameaças até a integridade física dos jornalistas.

Em seis meses, este é o terceiro veículo de oposição ao governo chinês a fechar as portas. Em um relatório publicado em dezembro, a organização Repórteres Sem Fronteiras destacou a deterioração do jornalismo livre de Hong Kong em um relatório intitulado ” O salto para trás da liberdade de imprensa na China”.

China censura a mídia pró-democracia

A decisão do Citizen News aconteceu uma semana após uma operação policial que prendeu sete funcionários do Stand News, acusados de sedição, a sublevação contra autoridades, crime previsto na legislação de segurança nacional implantada pelo governo chinês em Hong Kong, em 2020.

Entre os presos estão uma famosa cantora pop que foi membro do conselho do jornal, Denise Ho, e um dos editores que presidia a Associação de Jornalistas de Hong Kong.

Outra publicação pró-democracia, o jornal Apple Daily – conhecido por suas críticas ao governo chinês, em Hong Kong – também foi forçado a fechar em junho do ano passado, após uma pressão constante das autoridades sobre o jornal que funcionou de 1995 a 2021.

Seu proprietário, o famoso magnata da mídia Jimmy Lai, de 74 anos, cumpre pena por diversas condenações relacionadas aos protestos pró-democracia que tomaram conta de Hong Kong em 2019. Ele é um dos mais velhos jornalistas presos na atualidade.

O ex-editor do Apple Daily foi preso quando tentava embarcar para o Reino Unido.

Em uma entrevista coletiva na segunda-feira, a editora-chefe do Citizen News, Daisy Li, disse que o ambiente havia mudado e ela não sabia mais o que eram notícias “seguras”.

“Se não estou mais confiante o suficiente para orientar e liderar meus repórteres, devo ser responsável”, disse ela.

Na entrevista, Chris Yeung, fundador e redator-chefe do jornal, disse que não recebeu visitas de representantes do governo ou ameaças diretas, mas que o ambiente é inseguro. E que depois da operação no Stand News a decisão de fechar foi tomada.

“Aqueles que são vistos como críticos ou causadores de problemas, são mais vulneráveis”, afirmou Yeung, que é ex-presidente da Associação de Jornalistas de Hong Kong, no comando de uma redação que conta com cerca de 40 jornalistas.

A nova vítima da repressão chinesa

Fundado em 2017, o portal de notícias online Citizen News vinha se mantendo como uma das últimas publicações pró-democracia em língua inglesa em Hong Kong.

Numa postagem em sua página no Facebook na noite de 2/1, o veículo agradeceu aos leitores pelo apoio, anunciando “com pesar” que encerraria as operações a partir de 4 de janeiro para “garantir a segurança e o bem-estar de todos”.

“Lamentavelmente, o que estava à nossa frente [eram] não apenas chuvas torrenciais ou ventos fortes, mas furacões e tsunamis”, informou o comunicado.

“Infelizmente, não podemos mais nos esforçar para transformar nossas crenças em realidade sem medo por causa da mudança radical na sociedade nos últimos dois anos e da deterioração do ambiente da mídia.”, disse o comunicado, acrescentando:

“Infelizmente, as grandes mudanças em nossa sociedade nos últimos dois anos e a deterioração do ambiente da mídia tornaram impossível para nós realizarmos nossa missão sem preocupações.

“Com o coração pesado e perseverante, declaramos: Zhongxin (Citizen News) encerrará suas operações em 4 de janeiro de 2022 (terça-feira), o site não será mais atualizado e será fechado após um período de tempo.

Agradecemos sinceramente aos assinantes e leitores pelo apoio, e vamos lembrar do seu amor. A estrada que percorremos nos últimos cinco anos será nossas memórias mais queridas.

O Citizen News também se manifestou no Twitter, onde tem mais de 36 mil seguidores.”

A informação é do site UOL.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × três =