Conecte-se conosco

Mundo

Rússia e Ucrânia retomam negociações nesta sexta; ataques continuam, apesar de promessa de Putin

Os negociadores da Rússia disseram que é necessário um projeto de acordo com aprovação mais forte de ambos os lados

Prédio da administração regional de Mykolaiv, na Ucrânia, atingido por míssil no dia 29 de março. (Foto:Reuters)

A próxima rodada de negociações entre a Ucrânia e a Rússia será retomada de forma remota por videoconferência na sexta-feira, dia 1º de abril. O chefe da delegação ucraniana, David Arakhamia, confirmou a informação na quarta-feira (30).

Em mensagem publicada em seu canal Telegram, Arakhamia disse que durante as negociações realizadas na Turquia, nesta semana, foi anunciado que chegou a hora de uma reunião entre o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, e o presidente russo, Vladimir Putin.

No entanto, os negociadores da Rússia disseram que é necessário que um projeto de acordo com aprovação mais forte de ambos os lados aconteça primeiro, segundo Arakhamia.

A mais recente rodada de negociações feita entre Rússia e Ucrânia, realizada na última terça-feira (29) em Istambul, cidade da Turquia, chegou ao fim sem acordos firmados, mas com novas informações sobre as exigências de ambos os lados para encaminharem as conversas adiante — como a neutralidade ucraniana.

Enquanto isso, um novo corredor de evacuação foi fechado com os russos para a cidade sitiada de Mariupol, disseram autoridades ucranianas nesta quinta-feira (31).

A Ucrânia recebeu uma mensagem através da Cruz Vermelha confirmando a prontidão russa para abrir um “corredor humanitário”, disse a vice-primeira-ministra ucraniana Iryna Vereshchuk em um comunicado no Telegram.

“Na rota para Mariupol estamos enviando 45 ônibus”, disse ela. “28 deles precisam obter uma autorização para passar pelo posto de controle russo em Vasylivka. Além disso, 17 já deixaram Zaporizhzhia. Faremos todo o possível para garantir que os ônibus cheguem a Mariupol hoje e peguem as pessoas que ainda não puderam deixar a cidade”, escreveu.

Rússia promete redução de ofensiva, mas ataques continuam.

Apesar de a Rússia ter prometido reduzir os ataques na Ucrânia, bombardeios voltaram a ser registrados no leste do país nesta quinta-feira em meio a uma aparente mudança dos militares russos para redirecionar os esforços militares em direção a região de Donbas.

“Nós sentimos claramente que a transferência de tecnologia [militar] em nossa direção está começando agora”, disse Serhiy Haidai, chefe da administração militar da região de Luhansk, em entrevista a uma TV local.

Ataques também foram registrados, na quarta-feira, na cidade nortista de Chernihiv, segundo afirmou o prefeito local Vladyslav Atroshenko. Uma equipe da CNN que está trabalhando perto do subúrbio de Irpin ouviu constantes bombardeios na região.

 

A informação é da CNN Brasil.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 × cinco =