Conecte-se conosco

Mundo

EUA suspendem exigência de teste de Covid para entrada de turistas por via aérea a partir do dia 12

As restrições deixarão de valer no primeiro minuto de domingo em Washington (1h01 em Brasília) para turistas estrangeiros e americanos.

Aeroportos voltarão a exigir teste de covid -19 caso ocorra nova variante. (Foto Jeenah Moon_Reuters)

O presidente americano, Joe Biden, vai suspender a exigência de teste de Covid-19 com resultado negativo para a entrada de turistas nos Estados Unidos. A medida deve entrar em vigor no próximo domingo (12).

A decisão do democrata foi tomada em meio à pressão de companhias áreas e empresas de turismo para que sejam implementadas medidas de incentivos ao setor. As restrições deixarão de valer no primeiro minuto de domingo em Washington (1h01 em Brasília) para turistas estrangeiros e americanos.

Em dezembro, Biden havia anunciado mudanças nos protocolos de entrada dos viajantes internacionais com a exigência da apresentação de um teste de Covid-19 feito até um dia antes do embarque.

Nesta semana, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) decidiram suspender a restrição depois de entender, “com base na ciência e nos dados”, que o requisito não é mais necessário. A medida será reavaliada em 90 dias. “Se houver necessidade de restabelecer um requisito de teste —inclusive devido ao surgimento de uma nova variante preocupante— o CDC não hesitará em agir”, disse um funcionário da Casa Branca, de acordo com a agência de notícias Reuters.

A alta temporada nos Estados Unidos acontece durante o verão, que começa em 21 de junho. Empresas de turismo já estão se preparando para uma demanda que deverá ser recorde.

Na semana passada, Robert Isom, CEO da American Airlines, disse que os requisitos de teste para a entrada de turistas nos EUA não faziam sentido e eram deprimentes. Outras empresas do setor afirmam que muitos americanos não viajam ao exterior por medo de contrair o vírus e não conseguir voltar ao país.

O governo Biden também vinha sofrendo pressão de legisladores para a suspensão da exigência do teste de detecção da Covid. “Fico feliz que o CDC suspendeu o oneroso requisito de teste de coronavírus para viajantes internacionais”, disse a senadora democrata pelo estado de Nevada Catherine Cortez Masto.

Os EUA voltaram a permitir a entrada de viajantes brasileiros em novembro do ano passado. Antes, em janeiro, o ex-presidente Donald Trump havia suspendido, dois dias antes de deixar a Casa Branca, restrições de viagem a passageiros não americanos vindos do Brasil e da Europa.

Na ocasião, o republicano fez referência aos novos protocolos de teste e disse que a entrada de passageiros dessas regiões não era mais “prejudicial aos interesses dos Estados Unidos” e que era “do interesse americano encerrar a suspensão de entrada”.

Cinco dias depois de tomar posse, no entanto, Biden derrubou a medida do antecessor e reimpôs as restrições, citando variante do coronavírus que foi identificada no Brasil e que, segundo o texto do democrata, podia “impactar o potencial de reinfecção”.

Também em 2021 uma juíza federal anulou a decisão do governo de continuar exigindo o uso das máscaras no transporte público, inclusive aéreo, levando a Administração de Segurança dos Transportes (TSA, na sigla em inglês) a suspender a exigência. A magistrada argumentou que as autoridades de saúde estavam excedendo suas atribuições ao tornarem o acessório obrigatório.

Os EUA atingiram no mês passado a marca de um milhão de mortes por Covid-19. Até esta sexta (10), 1.010.808 pessoas morreram devido à doença, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins. Trata-se do país com o maior número de óbitos registrados em razão do coronavírus em todo o mundo.

A informação é da Folha de São Paulo.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

oito + 5 =