Conecte-se conosco

Mundo

Congresso dos EUA aprova feriado nacional em comemoração ao fim da escravidão no país

Projeto de lei ainda precisa ser assinado por Biden, mas não há dúvidas de seu apoio; data é comemorada em 19 de junho.

Black Lives Matter.Protesto contra racsmo nos EUA. (Foto:Karen Yucell/AFP)

Em um raro momento de unidade, republicanos e democratas aprovaram no Congresso dos EUA a criação de um novo feriado nacional em 19 de junho, para comemorar a emancipação dos últimos escravos do Texas em 1865. O presidente dos EUA, Joe Biden, ainda precisa assinar o projeto, mas não há dúvidas de seu apoio.

— Este dia representa a liberdade — disse a democrata Sheila Jackson Lee, deputada do Texas e uma das congressistas que apresentou o projeto de lei para transformar o “Juneteenth” (uma contração das palavras junho e dezenove em inglês) em feriado nacional. O projeto foi aprovado nesta quarta-feira, 16/6.

A Câmara aprovou a lei por 415 votos a favor e 14 contra, com o apoio de líderes democratas e republicanos. Na véspera, o projeto de lei havia sido aprovado por unanimidade no Senado. Diante de uma foto antiga de um negro com as costas laceradas, Lee, que é negra, falou em plenário sobre a “longa jornada” até esta votação.

– Mas aqui estamos hoje, livres para votar no dia 19 de junho como feriado nacional da independência, um feriado federal para os Estados Unidos — disse ela.

Por sua vez, o senador republicano do Texas John Cornyn, que apresentou o projeto com Lee, disse que “reconhecer e aprender com os erros do passado é essencial para seguir em frente”.

Foi no Texas, esse vasto estado do sul, que os últimos escravos souberam, em 19 de junho de 1865, que estavam livres. O presidente Abraham Lincoln havia libertado os escravos dois anos e meio antes, assinando a Proclamação de Emancipação em 1º de janeiro de 1863. Mas durante a Guerra Civil Americana (1861-1865), a escravidão continuou nos estados confederados.

O líder do Exército Confederado, Robert Lee, assinou sua rendição em 9 de abril de 1865. E levou mais de dois meses para que a notícia chegasse à pequena cidade de Galveston no Texas em 19 de junho.

O “Juneteenth” já era feriado em alguns estados do país, inclusive no Texas, mas até agora não havia sido marcado por data federal. Apelos para que o feriado fosse criado aumentaram após o assassinato de George Floyd, um homem negro morto por um policial branco em 25 de maio de 2020.

A data de 19 de junho “nos lembra de uma história marcada por brutalidade e injustiça, e nos lembra da responsabilidade que temos de construir um futuro de progresso para todos que honrem o ideal de igualdade dos EUA”, disse a presidente democrata da Câmara, Nancy Pelosi.

As informações são de O Globo.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2019-2021 - 18 Horas - Todos os direitos reservados.
Rede de Rádio Difusão Novidade Técnica LTDA
34.503.722/0001-80