Conecte-se conosco

Manaus

Sepultamentos crescem em Manaus e Estado e Prefeitura discutem protocolos pós-óbito por Covid-19

A revisão dos procedimentos, o acolhimento digno e humanizado e as orientações que devem ser dadas às famílias foram os principais assuntos da reunião; média de enterros diários na capital subiu de 30 para 45.

O número de sepultamentos em Manaus voltou a subir com o aumento progressivo de novos casos de Covid-19 no Amazonas e a lotação de leitos clínicos e UTI nas redes pública e privada de saúde na capital. A Prefeitura de Manaus informou que a média de enterros aumentou de setembro para dezembro após a flexibilização das medidas restritiva. De 30 enterros diários, a quantidade de sepultamentos subiu para 45, em média, por dia.

Nos cemitérios públicos, como o N. Sra. Aparecida, no bairro Tarumã, zona oeste de Manaus, voltaram as filas de carros funerários na entrada do local para realizar os frequentes sepultamentos. Em abril, no pico da pandemia na capital, a Prefeitura chegou a enterrar os mortos, a maioria vítimas de Covid-19, em valas comuns devido o número crescente de vítimas fatais da doença. O sistema funerário chegou a entrar em colapso.

E nesta segunda-feira, órgãos do governo do Estado e da Prefeitura de Manaus reuniram-se para tratar dos procedimentos relacionados aos cuidados pós-óbito por Covid-19, fluxo e manejo de corpos. A revisão dos protocolos, o acolhimento digno e humanizado e as orientações que devem ser dadas às famílias foram os principais assuntos da reunião, na sede da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), que contou também com a participação de representantes das empresas funerárias.

Uma das missões do grupo é a revisão dos protocolos para a emissão de uma nova Nota Técnica com atualização de orientações aos serviços de saúde, serviços funerários, cemitérios, dentre outros segmentos relacionados.

Entre as modificações propostas está a permissão para velório de pessoas que faleceram por complicações da Covid-19, mas não tinham mais o vírus ativo no organismo. O serviço de saúde irá disponibilizar a informação no cartão de identificação do corpo, sinalizando se o mesmo está liberado ou não para o velório, conforme as regras de distanciamento para evitar aglomeração.

O governo do Amazonas reuniu todos os órgãos que atuaram durante o pico da pandemia na condução e orientação acerca do manejo adequado e identificação de corpos, bem como demais procedimentos relacionados ao óbito por Covid-19 dentro e fora das unidades de saúde.

A equipe é composta por representantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), Secretaria de Estado de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Sejusc), Casa Civil e Casa Militar do Governo do Amazonas, Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), Secretaria Municipal de Saúde (Semsa Manaus), SOS Funeral e Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Marcellus Campêlo, a principal preocupação do governo é com o atendimento digno e humanizado às famílias. Por orientação do governador Wilson Lima, assistentes sociais, psicólogos e outros servidores dos órgãos governamentais voltarão a atuar dentro dos prontos-socorros, Serviços de Pronto Atendimento (SPA) e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

“As equipes atuarão junto ao serviço social das unidades de saúde na organização desse serviço de identificação e orientação pós-óbito, garantindo tratamento adequado, digno e humanizado na condução dos procedimentos”, afirmou Marcellus Campêlo.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2019-2021 - 18 Horas - Todos os direitos reservados.
Rede de Rádio Difusão Novidade Técnica LTDA
34.503.722/0001-80