Conecte-se conosco

Amazonas

Recorde: número de sepultamentos em Manaus cresce mais de 160% e crematório passa a ser opção

Prefeitura anuncia parceria com crematório e chama atenção para alto número de mortes com causa desconhecida ou por síndrome respiratória, mas sem confirmação de Covid-19

Em duas semanas, o número de sepultamentos nos cemitérios públicos da capital do Amazonas quase triplicou, conforme os dados divulgados pela Prefeitura de Manaus. O comparativo considera, por exemplo, os 39 enterros realizados no dia 9/4, enquanto que, no último sábado, 25, foram 102 registros, um aumento de mais de 160% em 16 dias. Nesse período, são mais de 1,5 mil registros. O aumento da demanda levou à abertura do primeiro crematório local.

A Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), que gerencia os cemitérios públicos da cidade, informa que 140 sepultamentos foram registrados no domingo, 26/4, além de duas cremações. Do total de 142 óbitos, 41 aconteceram em domicílio, apenas dez tem como causa da morte a confirmação por Covid-19. Outras 47 pessoas morreram por síndrome ou insuficiência respiratória, mais 28 tiveram no atestado o registro de causa indeterminada ou desconhecida, entre outras causas.

Conforme dados divulgados pelo município, o número de sepultamentos do dia 26 agora passa a ser o maior do período, desde o agravamento da pandemia pelo novo coronavírus. Desde o domingo anterior, 19, o quantitativo nos cemitérios públicos tem ultrapassado os cem enterros diários, a maioria no cemitério Nossa Senhora Aparecida, bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus.

Os números da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), que gerencia os cemitérios, também apontam que, desde o dia 19, mais de cem enterros por dia vêm sendo realizados, a maioria no cemitério público Nossa Senhora Aparecida, no bairro Tarumã, zona Oeste, que adotou o sistema de trincheiras para sepultamento.

“Pensando na dignidade das famílias enlutadas, agora contamos com o crematório, em parceria com a iniciativa privada do município de Iranduba. A partir do atendimento das funerárias ou do SOS Funeral, os familiares passam a ter duas opções: sepultamento ou cremação. O corpo é encaminhado para o cemitério de Aparecida e, caso a família assine a autorização, irá ao posto de atendimento do crematório, localizado no próprio local, para fazer o agendamento. A urna ficará na câmara do cemitério até o momento do deslocamento para o crematório”, explicou o secretário da Semulsp, Paulo Farias.

Desde o dia 9 de abril, o número de casos confirmados de Covid-19, provocada pelo novo coronavírus, saiu de 899, com 40 óbitos, para 3.833, com 304 óbitos, conforme dados oficiais divulgados pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS).

Outro dado que chama a atenção é que, do quantitativo de óbitos nos últimos dias, apenas um percentual que chega a 10% tem como causa da morte confirmada a Covid-19. Exemplo disso é que das 102 mortes de sábado (25), somente seis foram declaradas como Covid-19, ou seja, quase 6%. Outros 50 tiveram como causa morte síndrome ou insuficiência respiratória e mais 21 óbitos foram registrados como causa desconhecida ou indeterminada. Ainda nesse contexto, quatro famílias já fizeram a opção pelo crematório, totalizando 98 enterros nos cemitérios públicos. Do total, 20 tiveram morte domiciliar.

Na sexta-feira (24), foram 128 enterros ocorridos, com 35 mortes em casa. Do total, apenas 13 tiveram no atestado a Covid-19 como causa. Além disso, 28 óbitos tiveram como causa da morte desconhecida ou indeterminada e mais 49 por síndrome ou insuficiência respiratória. Na quinta-feira (23), foram no total 135 sepultamentos, com 40 óbitos em domicílios. Foram 36 mortes por causas indeterminadas ou desconhecidas, 48 por insuficiência ou síndrome respiratória e 12 com confirmação para Covid-19.

Regulação

Para impedir a aglomeração de pessoas em velórios e sepultamentos na cidade, a Prefeitura de Manaus publicou decreto que disciplina os velórios e sepultamentos para pessoas cujas mortes não foram provocadas pela Covid-19, entre elas a limitação de dez pessoas por velório e a redução para até 2h do tempo dessas cerimônias. Ao sepultamento, só está permitida a presença de, no máximo, cinco pessoas.

No caso de morte por confirmação ou suspeita de Covid-19, uma vez realizada a preparação do corpo pela prestadora de serviço, esse deve seguir de imediato para cremação ou sepultamento, sem a realização de velório; nesses casos, o cortejo só deverá ser integrado pelo carro que conduz a urna funerária e um veículo particular. Só três pessoas devem assistir o sepultamento.

Em nenhuma hipótese podem participar das cerimônias e sepultamentos as pessoas dos grupos de riscos (pessoas a partir de 60 anos, diabéticos, hipertensos, asmáticos e outras doenças crônicas) definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + dez =

Need Help? Chat with us