Conecte-se conosco

Manaus

Manaus deve ficar sem primeira dose da vacina contra Covid-19 por até 15 dias

Suspender temporariamente a vacinação de novos usuários foi uma medida de precaução para que os já vacinados tenham garantida a segunda dose.

Vacinação ocorre em Manaus desde o dia 18 de janeiro

A Prefeitura de Manaus informou, nesta quarta-feira, que suspensa em atendimento à orientação feita pelo Ministério da Saúde (MS) para todo o país, a aplicação de primeiras doses contra a Covid-19 será normalizada em Manaus tão logo o município receba novas remessas de vacina, cuja previsão de chegada é de 10 a 15 dias. O esclarecimento é da secretária Municipal de Saúde (Semsa), Shádia Fraxe. De acordo com ela, suspender temporariamente a vacinação de novos usuários foi uma medida de precaução para que os já vacinados tenham garantida a segunda dose.

“Inicialmente o ministério recomendou que os municípios usassem todas as doses de CoronaVac, a partir da oitava remessa, como primeiras doses, para acelerar a campanha no Brasil. Agora, orientou a retroceder considerando o risco de faltar vacina para completar o esquema vacinal dos que já receberam a primeira dose do imunizante”, explica Shádia, acrescentando que a medida vale, inclusive, para os trabalhadores da saúde e pessoas com comorbidades que já estavam agendados para a repescagem aberta pela Semsa nesta semana. “Apenas estes grupos estavam agendados para receber a primeira dose e a recomendação é que aguardem”.

Relatório da Divisão de Imunização da Semsa mostra que, até o último dia 20, Manaus recebeu, nas 13 remessas feitas pelo MS, o total de 365.992 doses do imunizante CoronaVac e que, dessas, 296.421 doses já foram utilizadas. “Por conta da nova recomendação do ministério, o saldo de 66.670 doses será agora exclusivo para segunda dose”, afirma a secretária. Ela diz que 80.085 usuários devem completar o esquema de imunização dentro dos próximos 30 dias, tempo em que o município espera receber novas remessas e completar as 13.415 mil doses necessárias para esse grupo.

Shádia Fraxe destaca que, desde que abriu a campanha de imunização contra a Covid-19, no dia 19 de janeiro, a Semsa segue a recomendação do prefeito David Almeida de garantir transparência e eficiência ao processo de vacinação. “Somos referência para o país pelo nível de organização e uso de ferramentas tecnológicas que facilitam o atendimento aos usuários e o controle de todas as etapas da campanha, desde o armazenamento e distribuição de doses até o envio de dados para os sistemas nacionais”.

A secretária acrescenta que os grupos contemplados até agora tiveram a vacinação concluída, com a superação das metas. Dados do vacinômetro municipal indicam que já foram vacinados 104,5% dos trabalhadores de saúde; 96,4% dos idosos com 80 anos e mais; 92,4% dos idosos de 75 a 79 anos; 93,7% dos idosos de 70 a 74 anos; 93,0% dos idosos de 65 a 69 anos; e 89,2% dos idosos de 60 a 64 anos. Ao todo, entre primeira e segunda doses, foram aplicadas 455.346 doses dos dois imunizantes, CoronaVac/Butantan e AstraZeneca/Oxford.

Também na faixa etária de 18 a 59 anos, com alguma das comorbidades descritas no Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, a Semsa concluiu a aplicação da primeira dose na última segunda-feira, 26/4, restando dos grupos contemplados, apenas os que não se vacinaram nas etapas específicas de cada um. Deste grupo, foram vacinadas 69.988 pessoas até agora.

Quanto à AstraZeneca, a secretária explica que o imunizante está sendo utilizado, no momento, para a população ribeirinha, com as primeiras doses já garantidas para esse público. Até o último dia 20, o município recebeu 234.380 doses de AstraZeneca e aplicou 140.976. O saldo de 90.370 doses é para o atendimento de segundas doses, que ainda será complementado com mais 19.190 doses a receber.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *