Conecte-se conosco

Amazonas

Chuvas permanecem em Manaus, mas sem fortes tempestades, informa meteorologista do Inmet

Meteorologista alertou que tempestades podem ocorrer na região fronteiriça do Amazonas

Destelhamento de casas foi registrado por equipes da prefeitura em Manaus

A segunda-feira (27/12) que “paralisou” Manaus por conta da tempestade que deixou rastro de destruição não deve se repetir pelos próximos dias. Ao menos é o que prevê o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

De acordo com o meteorologista do Inmet Mamed Luiz Melo, o fenômeno climático que atingiu a capital amazonense trata-se, ao que tudo indica, de um micro burst, conhecido como micro explosão, e que provoca tempestades e ventos fortes.

“Nós estamos em pleno verão no hemisfério sul e nesse período, a zona de convergência intertropical começa a jogar muita umidade na parte norte da região, atingindo o nordeste do Amazonas, parte do Amapá, e ainda mais ao sul, que está sendo influenciado pela zona de convergência do Atlântico Sul. Isso foi um dos fatores de levar umidade para região e como aí é um lugar quente e bastante úmido, devido ao aquecimento diurno há uma formação de nuvens (cumulonimbus) que provocou a chuva, essa forma formação de tempestade que ocorreu. Inclusive, eu olhando as imagens daqui tem tudo para ser um micro burst, micro explosão”, explicou o especialista.

Alerta

Luiz Melo alertou que o fenômeno pode ocorrer nos municípios amazonenses fronteiriços à Colômbia, em cidades como São Gabriel da Cachoeira. Por ora, o especialista disse estar descartada o registro de novas tempestades semelhantes a desta segunda em Manaus.

“Estou vendo que as cidades que ficam mais na direção da fronteira do Brasil com a Colômbia, na Cabeça do Cachorro (São Gabriel da Cachoeira), que terá mais perigo. Não quer dizer que Manaus não vai ter chuva. Vai ter chuva, sim. Vai ter trovoadas, mas não deve ocorrer, como ocorreu ontem”, alertou Mamed.

Mais chuvas

O meteorologista salientou que a intercorrência de chuvas como a de ontem é comum para a estação no Amazonas. “É comum para o período, só que nem toda a nuvem cumulonimbus provoca isso. Isso vai depender de algum fator atmosférico que vai poder potencializar essa chuva. A previsão é de continuar chovendo, e podemos dizer que ao longo da estação, não podemos descartar que isso possa acontecer. Mas pelo menos esses dias. Não quer dizer que Manaus vai sofrer com isso”, finalizou.

Estragos

Ontem, o temporal registrado em vários bairros de Manaus provocou a interrupção do fornecimento de luz e afetou cerca 380.000 clientes, o que representa 30% dos consumidores da capital. Como consequência dos danos na rede elétrica provocados por fortes rajadas de vento, a distribuição de água também foi interrompida em alguns bairros da capital. Devido ao temporal com chuva e ventos fortes, foram registrados 15 desabamentos, 12 deslizamentos de barrancos, 15 destelhamentos de casas, 16 tombamentos de árvores, entre outras ocorrências.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dez − 10 =