Conecte-se conosco

Manaus

Cardeal Dom Leonardo Steiner recebe título de cidadão de Manaus pela Câmara Municipal

Como reconhecimento pelos relevantes serviços prestados à sociedade manauara, Dom Leonardo Steiner recebeu a placa de Cidadão de Manaus.

Dom Leonardo Steiner, arcebispo metropolitano de Manaus. (Foto:Reprodução)

‘Se eu não estivesse na Amazônia, não seria cardeal’, com essas palavras Dom Leonardo Steiner, arcebispo metropolitano de Manaus, destacou em seu discurso de agradecimento por receber o título de Cidadão de Manaus, concedido na tarde dessa quarta-feira (26/6), em sessão solene no plenário Adriano Jorge, na Câmara Municipal de Manaus (CMM). A propositura do diploma foi de autoria do vereador Dr. Daniel Vasconcelos, do partido Republicanos.

Na abertura da sessão, vereador Dr. Daniel Vasconcelos convidou para compor a mesa de honra o Cardeal Dom Leonardo Steiner; os bispos auxiliares Dom Tadeu Canavarros, Dom Zenildo Lima e Dom Hudson Ribeiro; o diretor-presidente do Sistema de Comunicação Encontro das Águas, Oswaldo Lopes, que representou o governo do Amazonas; e a desembargadora Joana dos Santos Meirelles, vice-presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

Por meio do decreto legislativo 632 de 2024 e como reconhecimento pelos relevantes serviços prestados à sociedade manauara, Dom Leonardo Steiner recebeu a placa de Cidadão de Manaus. Em seu discurso de agradecimento, o cardeal disse receber o título de cidadão como um honra.

“A nossa cidade é viva, não é um lugar geográfico. O lugar nos diz, nos constrói, nos oferece um pensamento distinto. No morar ‘obramos’, pois no fazer obra, ‘moramos’, pois construir já é, em si mesmo morar e viver. Morar é pertencer e pertencer é ser. Sei que não advêm de um título, mas o título pode despertar para melhor morar, trabalhar, construir, participar, transformar. Receber o título responsabiliza o ‘morar’, por isso, o ‘pertencer’. Pelo morar, construir e trabalhar. O poeta da liberdade amazonense nos oferece esse modo de ‘obrar’. Que o Pão encontre na boca o abraço de uma canção construída com o trabalho. Que a fome fatigada de um suor que corre o rosto, que o pão do dia não chegue sabendo do trave de luta e o troféu da humilhação. Que seja a benção da flor festivamente polida porque deu ajuda ao chão. Mais do que flor seja fruto que maduro se oferece sempre ao alcance da mão, da minha e da tua, construímos juntos. A cidade apoliteia acontece no ‘obrar’ de muitas mãos. Tocar ao alcance da mão o ‘Pão da cultura’, da educação, da saúde, da justiça, do lazer, da arte da paz, da partilha do pão ‘Pao’. As estrelas, na escuridão da noite iluminam nosso sentido de pertencimento, de orientação na imensidão do firmamento. E nos situam no centro e vão revelando nossa imensidão no sentido de habitar no mundo. Quem vive no interior já olhou para o céu e viveu essa experiência. Na cidade, luzes artificiais podem ofuscar o olhar ascendente, levando ao esquecer o nosso morar e construir, até podem nos desterrar. Mas, porque morarmos e no morar operamos na imensidão da fé, nos oferece a suavidade e a força do reino de onde ‘Somos todos irmãos e irmãs’ como os mesmos direito e deveres. E que nos foi dado o iluminar, não com luzes artificias, mas com a luzes de Belém. Grato por oficialmente poder dizer que sou manauara. Obrigado”, concluiu Dom Leonardo Steiner, arcebispo metropolitano de Manaus.

Dom Zenildo Lima, bispo auxiliar de Manaus, ao proferir algumas palavras, destacou que a população manauara tem um modo particular para estabelecer uma relação de confiança com quem vem de outra região. “No primeiro momento nós observamos de longe. Depois, a gente ganha a confiança e a gente se entrega numa relação de comprometimento. Então essa sessão tem esse significado que Dom Leonardo ganhou a nossa confiança, de nós manauaras e do povo daqui. E é simbólico que na velocidade do seu caminhar, consegue caminhar conosco porque temos o nosso jeito de andar. Muito obrigada Dom Leonardo, o povo reconhece que o senhor anda com a gente. Agora a gente oferece a ele tudo o que a gente vive nessa cidade. Todas as dinâmicas que a gente vive nessa cidade, também são pra você Dom Leonardo, assim como os dramas e os desafios. Essas bancadas são ocupadas, geralmente, por homens e mulheres comprometidos com o exercício da legislatura em vista da cidadania. Mas numa ocasião como essa, a bancada é ocupada por construtores de cidadania, homens e mulheres que estão com mão na massa, na construção da cidadania. Então agora, não só como Cidadão Manauara, a gente sente que Dom Leonardo está conosco na construção da cidadania. E agora ele faz parte das nossas bancadas, da nossa história, das nossas vidas. A gente reconhece a presença conosco e tudo que nós somos, continuamos esse processo de construção da cidadania. Bem-vindo Cidadão Manauara!”, concluiu Dom Zenildo Lima, bispo auxiliar de Manaus.

O vereador Dr. Daniel Vasconcelos, em seu discurso, lembrou da simplicidade de Dom Leonardo na missão na Amazônia e o respeito que a população manauara tem pelo cardeal. “A igreja católica é a maior instituição de caridade do mundo e em Manaus não é diferente. São inúmeras obras sociais e o cardeal Dom Leonardo conduz a missão de uma forma extremamente sábia e sempre pelo caminho do bem”.

Ao final do discurso, o vereador pontuou a importância de conceder o título a Dom Leonardo. “Hoje nós entramos para história da Câmara Municipal dessa cidade por ter esse privilégio de ser o vereador proponente, de poder entregar essa outorga para ele e de poder homenagear o único cardeal da Amazônia Brasileira”, agradeceu o vereador dr. Daniel Vasconcelos.

O Diretor-Presidente do Sistema de Comunicação Encontro das Águas, Oswaldo Lopes destacou a importância do serviço da igreja nos tempos atuais onde as relações da sociedade estão perdendo espaço para o mundo tecnológico. “A igreja é fundamental nesse momento. Quando ela traz e lembra a Palavra de Deus, ela faz com que a gente mostre aos nossos filhos, aos nossos netos e filhos dos amigos, que Deus existe, que Deus aproxima, que Deus traz o alento. E o senhor como mensageiro maior de Deus aqui no nosso estado, recebe do estado do Amazonas o mais alto respeito, consideração e gratidão pelo trabalho que o senhor desenvolve aqui em nossa cidade”, agradeceu Oswaldo Lopes, Diretor-Presidente da Fundação Rede Encontro das Águas.

Nascido em 6 de novembro de 1950 em Forquilhinha, Santa Catarina, Dom Leonardo Ulrich Steiner ingressou na Ordem dos Frades Menores no dia 20 de janeiro de 1972, quando foi admitido no Noviciado da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil. Foi ordenado padre por Dom Paulo Evaristo Arns em 1978. Concluiu o curso de pedagogia e tornou-se mestre em noviços. Em 1995 foi transferido a Pontifícia Universidade Anteneu Antonianus, em Roma, onde fez mestrado e doutorado em filosofia. De 1999 a 2003, foi secretário-geral na mesma universidade.

De volta ao Brasil, frei Leonardo foi nomeado ‘Vigário’ da Paróquia Bom Jesus, em Curitiba, e passou a lecionar na Faculdade de São Boa Ventura. Em 2005, tornou-se o segundo bispo da prelazia de São Félix e, em 2011, foi nomeado bispo auxiliar de Brasília, com o mandado de Secretário Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, cargo que exerceu de 2011 a 2019.

Em novembro de 2019, foi nomeado arcebispo metropolitano de Manaus e, em 2022, o Papa Francisco nomeou-o Cardeal da Amazônia. Dom Leonardo Steiner recebeu em 2023, o título de Cidadão Amazonense, pela Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam-AM). Seu lema episcopal é ‘Verbum Caro Factum” que quer dizer “Verbo feito carne”.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − três =