Conecte-se conosco

Economia

Índice de confiança de empresários na economia cai em julho, após quatro altas consecutivas

Segundo a FGV, a queda de 0,3 ponto é pequena demais para sinalizar uma mudança de tendência.

Em médias móveis trimestrais, o indicador teve alta de 1,3 ponto no mês. (Foto: Reprodução)

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) teve ligeira queda de 0,3 ponto em julho em relação a junho, indo para 98,5 pontos, informou nesta segunda-feira, 1º, a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Apesar de pequena, foi a primeira queda após quatro meses seguidos de alta. Em médias móveis trimestrais, o indicador teve alta de 1,3 ponto no mês.

O ICE reúne os indicadores de confiança produzidos pelas sondagens da Indústria, Serviços, Comércio e Construção. O cálculo leva em conta os pesos proporcionais à participação na economia dos setores investigados, com base em informações extraídas das pesquisas estruturais anuais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a FGV, o objetivo é que o ICE permita uma avaliação mais consistente sobre o ritmo da atividade econômica.

Na passagem de junho para julho, apesar da queda no ICE agregado, a FGV chamou a atenção para o fato de que a dinâmica do setor de serviços está em trajetória mais positiva do que as demais. “No sentido contrário à média, o Setor de Serviços continua mostrando pujança e atinge o maior nível de confiança dos quatro grandes segmentos pesquisados, algo que não ocorria desde maio de 2012”, diz a nota da entidade.

Assim como os demais indicadores de confiança da FGV, o ICE é formado por dois componentes principais. O Índice de Situação Atual Empresarial (ISA-E) subiu 0,3 ponto, para 100,3 pontos, no maior nível desde agosto de 2021, quando ficou em 100,5. O Índice de Expectativas (IE-E) recuou 2,1 pontos, para 93,7 pontos, puxando a queda do ICE agregado. É o menor nível desde abril passado, quando ficou em 94,4 pontos.

Apesar da queda no ICE anexada na passagem de junho para julho, 59% dos 49 segmentos empresariais pesquisados nas sondagens de confiança da FGV registraram alta. Em junho, a difusão do resultado positivo atingiu 63% dos segmentos pesquisados.

A coleta do Índice de Confiança Empresarial reuniu informações de 3.940 empresas dos quatro setores entre os dias 1 e 27 de julho.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 × 1 =