Conecte-se conosco

Economia

Conta de luz terá bandeira amarela em janeiro de 2020, define Aneel

Segundo agência reguladora, baixo nível nos reservatórios de hidrelétricas e poucas chuvas são os motivos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou, nesta sexta-feira, que irá aplicar a bandeira amarela no mês de janeiro. Isso representa um adicional de R$ 1,343 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em dezembro, o órgão também acionou a bandeira amarela.

A Aneel informou que a decisão se deve ao baixo nível de armazenamento dos principais reservatórios da região das hidrelétricas e pelo regime de chuvas significativamente abaixo do padrão histórico nessas regiões.

“A previsão hidrológica para janeiro aponta para a elevação gradativa dos principais reservatórios, mas em patamares abaixo da média histórica . Essa condição intermediária repercute na capacidade de produção das hidrelétricas, ainda demandando acionamento de parte do parque termelétrico, com impactos diretos na formação do preço da energia”, informou o órgão.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 pela Aneel como forma de recompor os gastos extras com a utilização de energia gerada por meio de usinas térmicas, que é mais cara do que a de hidrelétricas. A cor da bandeira é impressa na conta de luz (vermelha, amarela ou verde) e indica o custo da energia em função
das condições de geração de eletricidade.

Quando chove menos, por exemplo, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais térmicas para garantir o suprimento de energia no país. Nesse caso, a bandeira fica amarela ou vermelha, de acordo com o custo de operação das termelétricas acionadas.

Alta em 2020

Os consumidores de energia de todo o país devem pagar R$ 20,6 bilhões em subsídios nas contas de luz em 2020. O valor representa uma alta de 20% na comparação com o total pago pelos clientes neste ano. Os números foram apresentados pela Aneel.

O dinheiro será usado para bancar ações e programas sociais do governo no setor elétrico e é um dos principais fatores que impactam no crescimento das tarifas de eletricidade. Os valores ainda podem ser alterados até o início do próximo ano, porque o orçamento dos subsídios do setor elétrico ainda passará por consulta pública por 30 dias.

O montante irá pesar nas contas de luz em 2020. Para os consumidores das regiões Sudeste e Centro-Oeste, o montante significa uma alta de 2,81% nas tarifas. No Norte e Nordeste, a alta será 1,53%.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1 × 1 =