Conecte-se conosco

Cultura

Série Rio Negro encerra primeira temporada gratuita no Teatro Amazonas

No repertório obras de Dvorák, Wagner e do compositor pernambucano Timóteo Esteves

Foto: Divulgação

A primeira temporada da “Série Rio Negro Concertos Sinfônicos” encerra as atividades em 2023, com o último concerto gratuito realizado Orquestra Pró Cultura do Amazonas, nesta quinta-feira (28.12), às 20h, no Teatro Amazonas.

O quarto concerto da temporada terá como destaque o compositor pernambucano, radicado no Amazonas há 27 anos, Timóteo Esteves, com a obra “À Brasiliana”. A composição recebeu o primeiro prêmio pela Academia Claude Brendel Brasil-França 2022 e fala sobre o Brasil e dos ritmos brasileiros, como o maracatu, samba e MPB.

Timóteo Esteves também é violoncelista e pedagogo formado pela Universidade Federal do Amazonas. Iniciou os estudos de violoncelo com a mestra Emília Valova, no Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro. Teve a estreia mundial com a composição dele “Vindouro” no “8º Festival de Violoncelo de Ouro Branco, Minas Gerais, em 2022. É integrante da Amazonas Filarmônica há mais de dez anos.

À Brasiliana

A obra é dividida em três movimentos: Brasiliana; Jornada Etérea e Saudoso Carnaval.

Segundo o compositor, o primeiro movimento apresenta acordes evolutivos usando a harpa e o violão. As madeiras e as cordas estão juntas nessa harmonia. Após uma breve introdução, com a movimentação dos ritmos brasileiros, é realizada a entrada da cuíca e uma grande batucada brasileira.

“O segundo movimento, é sobre a passagem dessa vida para outra. A morte é um assunto tão delicado e evitado, mas tive grandes perdas que me levaram às emoções necessárias para escrever esse movimento. Apesar de ser um movimento lento, escolhi dar efervescência rítmica e isso gerou mais impacto na melodia. A música tem algumas frases que escolhi fazer em uníssono, essas frases são como um grande lamento lacrimoso. A música termina bruscamente como um coração parando, o tímpano faz o som do coração e as madeiras fazem o bip da máquina que vai descompassando até fatalmente parar de bater”, explica o compositor Timóteo Esteves.

O terceiro movimento tem característica de samba, bem rítmico com harmonias e melodias que mudam bastante. O tímpano e a caixa são marcantes, lembrando a bateria de escola de samba, além do frullato nas flautas. A novidade nesse movimento é o uso do apito para chamar determinadas evoluções. As melodias são tenras e delicadas, elas passeiam entre os instrumentos e o uso da harpa.

Dvořák e Wagner

A abertura do concerto de fim de ano terá a obra da sinfonia número 8, em sol maior opus 88, de Antonín Dvořák. Composta 1889, para comemorar a admissão de Dvořák na Academia de Ciências, Literatura e Artes da Boêmia. Foi dedicada também, ao Imperador Franz Joseph pelo incentivo às artes.

Em seguida, a Orquestra Pró Cultura vai apresentar “Die Meistersinger von Nürnberg” (Os Mestres Cantores de Nuremberg) do compositor alemão Richard Wagner. A obra é uma ópera cômica em três atos.

Trajetória da Série Rio Negro

O programa da primeira temporada da Série Rio Negro foi composto de quatro concertos gratuitos e três palestras musicais em escolas públicas da capital amazonense. A abertura ocorreu no dia (06.09), no Teatro Amazonas. O segundo concerto no dia (21.10) e o terceiro no dia (18.11), ambos no Teatro ICBEU. O encerramento da primeira temporada da Série Rio Negro no Teatro Amazonas, está marcado para o dia (28.12), com o último concerto da série.

Foram realizadas duas palestras musicais no mês de novembro: “Conhecendo os metais graves da Orquestra”, na Escola Estadual Diana Pinheiro, bairro Educandos, e ainda, “A Orquestra e a nossa história”, na Escola Estadual Petrônio Portela, bairro Dom Pedro. Neste mês de dezembro a terceira palestra musical “Conhecendo a família das cordas”, na Escola Estadual Áurea Braga.

Pró Cultura do Amazonas

A Orquestra Pró Cultura do Amazonas possui uma configuração com 50 componentes. A criação oficial da Orquestra Pró Cultura do Amazonas ocorreu em 2019, tendo o maestro Rubens Cláudio de Souza, como o diretor artístico e regente titular dos músicos. O grupo nasceu com o intuito de criar oportunidades aos novos músicos em início de carreira, com a participação de músicos renomados.

Transmissão ao vivo

A “Série Rio Negro” tem transmissão ao vivo pelo Sistema Encontro das Águas, TV aberta 2.1, NET 513, e também pelo Facebook e Youtube, para mais de 50 municípios do Amazonas.

Incentivo à Cultura

O projeto “Série Rio Negro” é realizado através da “Lei de Incentivo à Cultura”, Ministério da Cultura, com o patrocínio master da Atem Distribuidora.

O patrocínio cultural é do Instituto Cultural Brasil – Estados Unidos (ICBEU-Manaus). Além do patrocínio, o ICBEU é parceiro do projeto, a Pró Cultura do Amazonas é uma orquestra residente do Instituto.

A Série Rio Negro tem apoio cultural da TV Encontro das Águas, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Amazonas, do Governo do Amazonas e do Centro de Artes da Universidade Federal do Amazonas (CAUA). A realização é da Procult/Guerra Produções Culturais. Entre os principais objetivos: promover acesso à cultura; inclusão social e oportunidade de emprego e renda em Manaus.

A primeira temporada tem a regência e a direção artística do maestro Rubens Claudio de Souza e a direção de produção do maestro Ezequias Guerra.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − três =