Conecte-se conosco

Brasil

Posse de Decotelli como ministro da Educação é adiada após denúncias de inconsistências em currículo

A nomeação de Carlos Alberto foi anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro, na última quinta-feira, citando que o professor tinha doutorado e pós-doutorado

O professor Carlos Alberto Decotelli,presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) Presidente do FNDE no Programa Brasil em Pauta

Marcada para amanhã (30), a posse de Carlos Alberto Decotteli como novo ministro da Educação foi adiada e, segundo “O Estado de S. Paulo”, pode nem vir a acontecer. O adiamento, sem nova data definida, acontece depois de virem à tona denúncias sobre inconsistências no currículo de Decotelli.

A nomeação de Carlos Alberto foi anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro, na última quinta-feira (25), após a saída de Abraham Weintraub da pasta. Na ocasião, Bolsonaro citou que “Decotelli é bacharel em Ciências Econômicas pela Uerj, Mestre pela FGV, doutor pela Universidade de Rosário, Argentina, e Pós-doutor pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha”.

O reitor da Universidade de Rosário, no entanto, afirmou que Decotelli não concluiu o doutorado. Após o questionamento, Carlos Alberto atualizou o currículo na plataforma Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), acrescentando que o curso estava “sem defesa de tese”.

Diante do constrangimento, auxiliares presidenciais passaram a recomendar ao presidente que reveja a nomeação de Decotelli. Segundo matéria da CNN Brasil, a própria ala militar, que indicou o nome do professor, considera um risco para o governo a manutenção da nomeação dele e o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) pediu à Agência Brasileira de Inteligência (Abin) uma rechecagem no currículo de Decotelli.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − 8 =

Need Help? Chat with us