Conecte-se conosco

Brasil

Norte e Centro-Oeste: sem prisão em 2ª instância, 58,6% acreditam no aumento da corrupção

Em todo o País, para 61,4% dos entrevistados, a corrupção vai aumentar com a volta dos processos que nunca acabam no Supremo Tribunal Federal, mostra levantamento do Instituto Paraná Pesquisas.

Levantamento do Instituto Paraná Pesquisa mediu o humor do brasileiro em relação ao fim da prisão em segunda instância, depois da decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na semana passada. Nas regiões Norte e Centro-Oeste, 58,6% dos entrevistados disseram que a corrupção vai aumentar com a volta dos processos que parecem nunca acabar. Nas duas regiões, 30,2% disseram que aa corrupção vai permanecer como está, 6,8% disseram que vai diminuir e 4,4% não responderam.

O instituto entrevistou 2.640 brasileiros em todas as 27 unidades da federação. Ele questionou se “o fato do STF ter acabado com a prisão em 2ª instância faria a corrupção aumentar, diminuir ou permanecer como está”.

Em todo o País, para 61,4% dos entrevistados, a corrupção vai aumentar com a volta dos processos que nunca acabam no STF. Para 27,2%, a corrupção “permanecerá como está”. Só 7,2% apostam na queda da roubalheira. 4,2% não souberam responder.

O instituto também perguntou se o fim da prisão em segunda instância era algo importante na vida dos entrevistados. Em todo o País, 51,8% responderam que o fato é muito importante ou importante contra 30,5% que considerou o fato pouco importante ou nada importante.

Nas regiões Norte e Centro-Oeste, 51,5% responderam que o fato é muito importante ou importante, contra 31,3% que considerou o fato pouco importante ou nada importante.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

16 − treze =