Conecte-se conosco

Brasil

Pesquisa indica que mais de 50% da população está insatisfeita com a gestão da educação pública no país

A pesquisa foi feita nacionalmente entre os dias 7 e 24 de fevereiro deste ano com entrevistas por telefone, com a aplicação de um questionário estruturado junto a um público de 3,860 pessoas.

A condução da educação pública no Brasil é reprovada pela maior parte dos brasileiros aptos a votar, segundo pesquisa encomendada pelo Todos Pela Educação. O levantamento, realizado pela Conectar Pesquisas e Inteligência, mostra que 58% dizem insatisfeitos com 16 anos ou mais se consideram insatisfeitos ou muito insatisfeitos com o Governo Federal , enquanto 54% dos entrevistados estão insatisfeitos ou muito insatisfeitos quando avaliam a condução dos governos estaduais .

— Essa rejeição tem muita relação com a resposta dos gestores públicos à pandemia. Muita coisa foi sentida diretamente pela população com seus filhos que ficaram fora da escola nesse período — ressalta Lucas Hoogerbrugge, líder de relações governamentais do Todos Pela Educação.

— Mas o que chama muita atenção é que a reprovação na política educacional é maior em relação ao governo federal que aos estaduais. Pesquisas de outros temas mostram o contrário — diz.

Desde o começo da gestão de Jair Bolsonaro, o Ministério da Educação (MEC) tem sido marcado por constantes trocas de gestores, redução de orçamento e baixa execução de recursos. Neste ano, a pasta ainda entrou no centro de suspeitas de que pastores pediam propina em ouro e em bíblias em troca de influência na liberação de verbas.

A pesquisa, quantitativa, foi feita nacionalmente entre os dias 7 e 24 de fevereiro deste ano. O levantamento foi realizado por telefone, com a aplicação de um questionário estruturado junto a um público de 3,860 pessoas, representativa da população eleitoral brasileira com 16 anos ou mais. O intervalo de confiança é de 95 % e a margem de erro é de 1.6 %, par mais ou par menos, sobre os resultados obtidos pela amostra.

Faltando menos de seis meses para as eleições gerais no Brasil, o levantamento apontou que 59% dos eleitores brasileiros consideram a educação um tema « muito importante » na hora de avaliar propostas de candidatos. Já 15% disseram ser « pouco importante », enquanto para 17% o tema será indiferente para suas escolhas em outubro.

— Educação costuma estar na agenda, mas não é prioritária. Estamos vendo que o eleitor está insatisfeito e quer ouvir propostas — analisa.

Na avaliação do líder de relações governamentais do Todos Pela Educação, há grupos de ações que deveriam ser resolvidos pelos novos eleitos, desde 2023.

A informação é do site Actualites.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × 5 =