Conecte-se conosco

Amazonas

Wilson Lima prioriza seus próprios interesses e não os do povo do Amazonas, diz sindicalista

Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Amazonas prepara ato contra o governador Wilson Lima em Manaus.

Governador disse que presidente da República iria reeditar o decreto e livrar a ZFM dos efeitos negativos do dispositivo. O que não aconteceu

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal), Valdemir Santana, disse, nesta sexta-feira (01/04), que o governador do Amazonas, Wilson Lima (UB), precisa lutar pelos interesses do povo e não pelos próprios interesses políticos e partidários.

A declaração de Santana se deu em comentário sobre a renovação do decreto que reduz o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que ameaça diretamente a Zona Franca de Manaus (ZFM), publicado pelo governo federal.

Valdemir Santana, que também é membro da Central Única dos Trabalhadores (CUT), questionou “a morosidade” das ações de Wilson Lima diante do decreto que coloca em risco a economia do estado e, por consequência, a manutenção dos empregos e a própria floresta.

“O governador do estado já era para ter entrado com uma ação contra o federal em benefício do povo do Amazonas, em benefício do mundo (SIC). Porque se não tiver emprego em Manaus, vai desmatar a floresta. Não vai ter mais água em SP para aguar os canaviais e cafezais lá”, disse.

Valdemir informou que os trabalhadores vão realizar um grande ato contra o governador Wilson Lima e o presidente Jair Bolsonaro. O dirigente sindical cobrou “mais atitude por parte do chefe do Executivo estadual”.

“O governador tem de agir. Ele foi eleito para ver os nossos interesses, do povo amazonense, e não interesse dele político. Essa é a nossa posição. E nós vamos nos preparar para fazer um grande manifesto contra esse governo (federal) e o governo estadual. Nós temos de fazer alguma coisa. Os nossos políticos têm de agir contra esse governo. Os trabalhadores vão agir contra esse governo, porque ele está tirando o direito das pessoas de se alimentar, direito do emprego, a coisa mais sagrada que tem”, declarou.

O sindicalista relembrou que no início dos anos 2000, o ex-governador Amazonino Mendes chegou a entrar com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra uma lei que ameaçava diretamente a competitividade do Polo Industrial de Manaus.
“Na época lá que o governo FHC entrou contra nós, o nosso governo entrou com uma ação contra o presidente Fernando Henrique. O presidente está usando a política dele traiçoeira contra o povo amazonense, a favor do desemprego da região”, afirmou.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um × 2 =