Conecte-se conosco

Amazonas

Vereador é preso em Iranduba, suspeito de cobrar propina para aprovar projetos

Segundo as investigações, a propina cobrada pelos parlamentares irandubenses acusados chegava a R$ 5 mil para a aprovação de projeto de interesse coletivo.

O vereador de Iranduba (AM) Pedro Paulo Castro de Almeida (Pros), o ‘Pepe’ (PROS), foi preso pela Polícia Federal, nesta terça-feira,19, em frente à Prefeitura do município, numa operação desmembrada da Operação Avaritia, deflagrada em agosto, pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM), que levou à prisões os vereadores Kelison Dieb (MDB) e Jakson Pinheiro (PMN), todos suspeitos de participarem de uma organização criminosa que cobrava propinas para aprovações de projetos de Lei na Câmara Municipal.

A prisão foi confirmada pelo MP-AM. ‘Pepe’ tem 54 ano, é empresário, e nasceu em Santarém (PA). Foi eleito pela coligação ‘Iranduba Tem Jeito’ (Pros, PPL e PP). O parlamentar foi preso em flagrante, ao receber a quantia de R$ 5 mil, diretamente das mãos do prefeito Francisco Gomes da Silva, o Chico Doido, que se propôs a ajudar as investigações onde ele aparece como vítima do pedido de propina.

A Operação Avaritia, do Ministério Público do Amazonas (MP-AM) – palavra que vem do Latim e significa cobiça -, teve como alvos principais os vereadores. As investigações começaram em dezembro de 2018. Segundo as investigações, a propina cobrada pelos parlamentares irandubenses investigados chegava a R$ 5 mil para a aprovação de projeto de interesse coletivo. A arrecadação criminosa de dinheiro pode ter chegado a mais de R$ 80 mil.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

três + sete =