Conecte-se conosco

Amazonas

Trabalhadores paralisam atividades no Hospital Francisca Mendes em protesto por atraso de salário

Profissionais estão há 5 meses sem receber pagamento; dono da empresa já chegou a ser preso pela PF, em operação que também teve como alvo o governador Wilson Lima

– Foto: Rodrigo Santos

Funcionários terceirizados da área de serviços gerais do Hospital Universitário Francisca Mendes, localizado na zona Norte de Manaus, paralisaram as atividades na tarde desta sexta-feira (09/03) em protesto pelo atraso de pagamento. Segundo uma trabalhadora, que preferiu o nome em sigilo temendo ser demitida, a empresa não deposita os salários dos profissionais há cinco meses.

Com cartazes, os profissionais fecharam parcialmente o trânsito da avenida Camapuã, na frente da unidade de saúde, como forma de pressionar os diretores da empresa Proservice Serviços de Apoio à Gestão da Saúde LTDA., responsável pelo contrato dos trabalhadores. “Eles alegam que vão nos pagar na próxima sexta-feira (11/03). Mas sempre quando chega na data que eles alegam, nunca tem dinheiro. E nisto já vamos para cinco meses de salários atrasados”, disse uma trabalhadora.

Empresa

A Proservice foi denunciada há duas semanas pelo deputado estadual Wilker Barreto (sem partido) que revelou que o Governo do Amazonas mantém contrato com a empresa, do empresário Rafael Garcia da Silveira, que foi indiciado pela CPI da Saúde em 2020 por prestar serviços ao Estado com documentos falsos de capacidade técnica através da empresa Prime.

Wilker lembrou que o empresário chegou a ser preso na Operação Sangria, realizada pela Polícia Federal, que apurou fraudes e superfaturamento em contrato para a instalação do hospital de campanha Nilton Lins, envolvendo empresários e servidores da cúpula da gestão do sistema de saúde do Estado do Amazonas. Inclusive, o próprio governador Wilson Lima (PSC) e o então secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campelo, foram alvo da quarta fase da operação Sangria.

O deputado disse que o Portal da Transparência do Governo do Amazonas indica pagamentos indenizatórios de valor de R$ 653.825,92 à empresa, responsável pela contratação de auxiliares de serviços gerais para o Hospital Francisca Mendes.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

10 + 14 =