Conecte-se conosco

Amazonas

Trabalhador em Manaus gasta em média R$ 31,91 em almoço fora de casa, aponta pesquisa

A pesquisa aponta que o maior valor médio foi registrado no Sudeste: R$ 42,83. Já o menor valor é o do Centro-Oeste, de R$ 34,20. Na Região Norte, foi de R$ 36,14.

Os trabalhadores em Manaus gastam, em média R$ 31,91 para almoçar fora de casa, de acordo com dados de uma pesquisa da Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador (ABBT), realizada em 51 cidades e no Distrito Federal entre fevereiro e abril de 2022 em locais que aceitam vale-refeição como forma de pagamento.


Em Manaus, o preço médio do prato feito comercial foi R$ 18,03; o autosserviço a quilo, R$ 24,71; o executivo, R$ 50,97; e o à la carte, R$ 59,17.

De acordo com a pesquisa, a média nacional é de R$ 40,64 para almoçar fora de casa. Em relação a 2019, último ano em que o levantamento foi feito, o valor é 17,4% maior.
O cálculo leva em conta um “prato ideal” composto pelo prato em si, uma bebida (refrigerante, água ou suco), uma sobremesa e um café.

Considerando uma refeição comercial completa, o gasto é de cerca de R$ 31. Já na opção à la carte, o valor mais que dobra, atingindo R$ 64,83.

O gasto é uma média nacional, mas a alta não é homogênea em todos os municípios. A variação leva em conta fatores que impactam no valor final da refeição, como preço do gás e da energia elétrica, sazonalidade dos produtos e valores do frete para transporte.

Nesse sentido, a pesquisa aponta que o maior valor médio foi registrado no Sudeste, em que um almoço fora de casa custa R$ 42,83. Já o menor valor é o do Centro-Oeste, de R$ 34,20. Na Região Norte, foi de R$ 36,14.

A ABBT destaca que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) indica que a inflação dos preços da alimentação fora de casa é de 6,6% no acumulado de 12 meses encerrados em maio. O valor é menor que a alta para a alimentação em casa, que é de 16,1%.

Segundo a diretora-executiva da ABBT, Jessica Srour, “apesar do aumento, os restaurantes estão se adaptando à nova realidade de mercado trazida pela pandemia de Covid-19 e evitando repassar o aumento dos custos aos trabalhadores”.

Ela afirma ainda que, sem o benefício do vale-refeição, um trabalhador gastaria cerca de um terço do salário para almoçar fora de casa, levando em conta uma remuneração média de R$ 2.548. Considerando a média nacional, o gasto no mês para almoçar seria de R$ 894,08.

A expectativa da ABBT é que, apesar da alta, os preços se acomodem em patamares pré-pandemia conforme as atividades presenciais são retomadas.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

11 + 15 =