Conecte-se conosco

Amazonas

Professores de Manaus aprovam indicativo de greve contra retorno das aulas presenciais na rede estadual

Em assembleia geral extraordinária, neste sábado (1º), a Asprom Sindical decidiu que irá deflagrar uma greve da categoria no dia 5 de agosto caso o Governo do Amazonas não desista do plano de retomar ano letivo no dia 10.

O Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas do Ensino Básico de Manaus (Asprom Sindical) aprovou neste sábado (1º), em assembleia geral extraordinária, o indicativo de greve da categoria em protesto ao retorno das aulas presencias da rede estadual de ensino na capital. O Governo do Estado determinou que os professores devem retomar, no dia 10 de agosto, as atividades com os alunos nas escolas de Manaus, administradas pela Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc-AM).

Na terça-feira passada, o governador do Amazonas, Wilson Lima, anunciou o calendário programado pela Seduc-AM para a volta às aulas presenciais, que será de maneira gradativa e escalonada em 123 escolas de Manaus, totalizando cerca de 110 mil alunos, conforme a secretaria. Os primeiros a retornarem, no dia 10 deste mês, serão os estudantes do Ensino Médio regular e da modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Já no dia 24 de agosto, será a vez dos alunos do Ensino Fundamental (anos iniciais e finais). Ainda não há previsão para retorno das aulas no interior do Estado.

Os membros da Asprom Sindical esperam que Lima e o secretário da Seduc-AM, Luis Fabian Barbosa, desistam da decisão sobre o retorno do ano letivo em meio à pandemia da Covid-19. Professores e pedagogos acreditam ser necessário discutir melhor com o poder público um plano de volta às aulas mais seguro para a categoria e os estudantes. Caso o Estado mantenha o calendário anunciado da volta às aulas presenciais, os professores prometem deflagrar uma greve a partir da próxima quarta-feira, dia 5 de agosto.

Apesar do Governo do Amazonas garantir que medidas de prevenção ao novo coronavírus serão adotadas para resguardar a saúde dos professores e demais funcionário das escolas públicas em Manaus, além dos alunos, a Asprom Sindical discorda das condições em que serão retomadas as aulas presenciais. “A nossa luta agora é pela vida. Pela vida dos nossos alunos, dos professores, de todos os trabalhadores da Educação e de seus familiares”, declarou a presidente da Asprom Sindical, Helma Sampaio.

E na próxima segunda-feira (3), a Asprom Sindical irá realizar uma carreata até a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) para cobrar da Comissão de Educação da Casa uma audiência pública para discutir com a sociedade as condições para volta às aulas. A concentração para a carreata será na Arena Amadeu Teixeira, localizada na Rua Loris Cordovil, bairro Flores, zona centro-sul de Manaus, a partir das 8h. No mesmo dia, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) organizará uma assembleia geral, às 17h, pela plataforma Zoom, para debater com a categoria o retorno às aulas presenciais.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 4 =

Need Help? Chat with us