Conecte-se conosco

Amazonas

Sindicato denuncia agressão a professor dentro da sede do Governo do Amazonas

Segundo a Asprom/Sindical, professor integrava grupo que tentava conversar com governador Wilson Lima sobre data-base

Professores tentaram mais uma vez por uma audiência com o governador Wilson Lima

O Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom/Sindical) denunciou na tarde desta quarta-feira (30/03) que um professor foi agredido dentro da sede do Governo do Amazonas, bairro Compensa II, zona oeste de Manaus, por um oficial da Polícia Militar, que presta serviço no local.

Segundo a nota de repúdio distribuída pela Asprom, um grupo de professores tentou na manhã desta quarta mais uma vez por uma audiência com o governador Wilson Lima (UB) sobre o pagamento da data-base de 2022, que segundo o órgão, está atrasada desde o último dia 1º. O sindicato informou que o professor Alan de Moura Machado, que integrava o grupo de docentes, foi agredido com um tapa no rosto e teve seu aparelho telefônico arremessado ao chão.

“Pelo fato de, ao ser advertido pelo policial por conta de ter estacionado seu carro no estacionamento da sede do Governo e ter dito ao policial que o estacionamento é público; por conta da resposta do professor o policial se exaltou e desferiu um tapa no rosto do professor”, diz a nota.

Ainda de acordo com o sindicato, a atitude do militar gerou indignação, sobretudo pelo fato da categoria tentar mais uma audiência com o chefe do Executivo pela reposição salarial sem sucesso. “Tal fato causa indignação e revolta na categoria dos professores que está buscando o direito de ter a data-base respeitada pelo governador Wilson Lima. O despreparo do referido policial e sua ação truculenta é inadmissível e inaceitável. O Sindicato irá prestar total apoio jurídico ao professor Allan de Moura e espera que providências cabíveis sejam tomadas”, diz a nota.

Ausência

De acordo com o sindicato, os professores foram informados pela segurança interna da sede do governo que não havia nenhuma autoridade no local que pudesse atender aos professores. “Segundo a segurança interna todas as autoridades ( incluído o próprio governador ) estavam tendo agenda externa e não retornariam mais para o local, visto que o expediente seria encerrado ao meio-dia em função de uma ação de dedetização que iria ocorrer no prédio e que já estaria agendada há tempo. O sindicato permaneceu no local até o meio-dia, e, na saída, o professor Alan de Moura Machado , que fazia parte da Comissão de Base, foi agredido covardemente por um oficial membro da segurança interna da sede do governo de nome Wellington, com um tapa violento no rosto”, diz a nota.

O Governo do Amazonas ainda não se pronunciou sobre a agressão ocorrida dentro da sede do governo.

Justiça

Os profissionais de Educação decidiram em assembleia geral realizada no último sábado (26/03) acionar a Justiça contra o Governo do Amazonas para garantirem o pagamento da data-base de 2022, que segundo o Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (AspromSindical), está atrasada desde o último dia 1º de março.

Segundo nota distribuída pela AspromSindical, a decisão da categoria se dá em razão pela falta de diálogo com o governador Wilson Lima (UB) e com a própria Secretaria de Educação que se recusa a negociar com os professores. “Já esgotou (SIC) todos os meios democráticos e legais para tentar uma negociação com a Secretaria Estadual de Educação e com o Governo do Estado sem obter nenhuma resposta por parte das autoridades. A data-base dos professores e pedagogos da Seduc/Capital venceu em 1° de março e irão receber o salário do mês de março sem o reajuste salarial a que tem direito”, diz o trecho da nota.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 × 1 =