Conecte-se conosco

Amazonas

Presidente do Senado diz que redução do IPI sem resguardar a Zona Franca de Manaus foi quebra de acordo do governo

Rodrigo Pacheco disse que é testemunha de um acordo do governo com a bancada amazonense para que os produtos com Processos Produtivo Básico (PPB) na ZFM não fossem alcançados pela redução do imposto.

O presidente do Senado e do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou, na terça-feira (03/05), que houve quebra de acordo do Governo Federal em manter a redução do Imposto sobre produtos Industrializados (IPI) sem excepcionalizar itens produzidos na Zona Franca de Manaus (ZFM). Ele disse que é testemunha de um acordo do governo com a bancada amazonense para que os produtos com Processos Produtivo Básico (PPB) na ZFM não fossem alcançados pela redução do imposto.

O senador disse que houve um acordo fechado no começo deste ano na discussão de projetos do governo federal para reduzir o preço dos combustíveis (PLP 11/2020 e PL 1.472/2021) e que, sem a ressalva aos produtos da ZFM nos decretos de redução do IPI, houve um “flagrante descumprimento”. A declaração foi dada em um aparte a um pronunciamento do senador Plínio Valério (PSDB-AM) sobre o assunto.

“Eu sou testemunha do acordo e do diálogo estabelecido entre bancada do Estado do Amazonas no Senado Federal com o governo federal, relativamente a essa questão da redução do IPI. Não que sejamos contra a redução, absolutamente, eu não seria irresponsável como presidente do Senado em defender ao contrário a redução de impostos, que favorece a sociedade brasileira. Mas havia um compromisso de excepcionalizar os produtos produzidos a partir do sistema de produção básico, o PPB, da Zona Franca de Manaus justamente para que não se gerasse um prejuízo flagrante a um estado inteiro, a uma cidade como Manaus e ao povo amazonense. Sem prejuízo ao restante do País, porque no final das contas defender os processos industriais da Zona Franca de Manaus previstos na Constituição Federal é defender a indústria brasileira, sempre afirmei isso”, disse Pacheco.

Pacheco disse, ainda, que os amazonenses “têm na presidência do Senado alguém solidário e junto para poder fazer esse enfrentamento, que, repito, é justo para a indústria brasileira”. “Eu vou cuidar, já disse isso a vossa excelência (Plínio Valério), ao senador Omar Aziz, ao senador Eduardo Braga, ao meu vice-presidente no Congresso Nacional, deputado Marcelo Ramos (PSD), desse meu compromisso presidência do Senado de nos ombrearmos dentro propósito legítimo justo de estabelecer excepcionalização em relação à Zona Franca de Manaus. Portanto, eu vou cuidar de fazer esses apontamentos junto ao Ministério da Economia, junto ao governo federal para que tenhamos eventualmente a correção dessa distorção, sem prejuízo também do ajuizamento de ação judicial no âmbito do Supremo Tribunal Federal que busca também corrigir da mesma maneira”, declarou.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

onze + quatro =