Conecte-se conosco

Amazonas

Prefeito de Manaus defende atuação do Exército contra falta de segurança nas ruas

David Almeida defendeu a GLO (Garantia da Lei e da Ordem) com a presença de militares do Exército Brasileiro para coibir os ataques.

O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), defendeu, no início da noite deste domingo (06/06) que seja aplicada na capital a GLO (Garantia da Lei e da Ordem) com a presença de militares do Exército Brasileiro para coibir os ataques em série praticados por criminosos desde as primeiras do dia.

David Almeida disse que “está mais do que na hora do exército entrar nas ruas. Não se pode deixar que os marginais tomem conta”. O prefeito informou também que chegou a conversar sobre a possibilidade da GLO com o comandante do Comando Militar da Amazônia (CMA), general Theofilo Gaspar, e com o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC).

“O estado não pode recuar. O estado tem de aplicar com mão firme. Tem que atuar com firmeza neste momento. Já conversei, pela tarde, com o comandante militar da Amazônia, falei para o governador Wilson Lima, alertava para ele se estão fazendo isso durante a luz do dia, o que pode vir durante à noite, pode ser muito pior. Esse é o momento de nos unirmos e termos sim a presença do exército nas ruas e colocar esses bandidos no devido lugar deles”, declarou o prefeito, ressaltando que “o estado tem de aplicar mão firme, agir com rigor, para que ações como essas não ocorram na nossa cidade”.

Bola das Letras

Na praça da Bola das Letras, no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste, um dos alvos dos criminosos, o prefeito David Almeida informou que uma equipe da Guarda Municipal estava no logradouro público quando os bandidos chegaram e incendiaram o local, reinaugurado há três dias. “Foram longe demais, um abuso ao extremo que a sociedade não compactua, não aceita. Eu como prefeito não vou aceitar isso. Eu estava com minha equipe aqui, tínhamos quase certeza que eles viriam, aqui. Colocamos a nossa Guarda Municipal. Se eu estou com a minha guarda armada, isso não teria acontecido”.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

catorze + cinco =