Conecte-se conosco

Amazonas

Pobreza no Amazonas alcançou a maior proporção dos últimos 10 anos, aponta FGV

O Mapa da Nova Pobreza, da Fundação Getúlio Vargas, divulgado nesta quinta-feira, mostra que a proporção da população pobre no Estado aumentou 2,25%, desde 2019.

O Amazonas registrou, em 2021, o maior percentual de pobreza de sua população dos últimos 10 anos. Com mais da metade de sua população (51%) considerada pobre, o Estado passou a ocupar o segundo lugar no Mapa da Nova Pobreza, divulgado pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas – FGV Social. São cerca de 2,1 milhões de pessoas nesta situação.


O Mapa mostra que a proporção da população pobre no Estado aumentou 2,25%, desde 2019. A FGV Social considera pobres as pessoas com renda domiciliar per capita (por pessoa) até R$ 497 mensais. O levantamento avalia o nível e a evolução da pobreza durante os anos de pandemia de Covid no Brasil, com base nos dados da Pnad Contínua anual (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O índice no Amazonas ficou bem acima da média nacional, de 30%. Em primeiro lugar aparece o Maranhão, com 57,9% de pobres. Em primeiro, Santa Catarina, 10,16%. A pobreza nunca esteve tão alta no Amazonas quanto no ano passado, desde o começo da série histórica da pesquisa, em 2012.

Entre 2019 e 2021 as únicas quedas de pobreza foram observadas em Tocantins (0,95 pontos percentuais) e Piauí (0,03 pontos percentuais). No País, o contingente de pessoas com renda domiciliar per capita até R$ 497 mensais – atingiu 62,9 milhões em 2021. Este número de 2021 corresponde a 9,6 milhões a mais que 2019, quase um Portugal de novos pobres surgidos ao longo da pandemia. O valor em reais corresponde a linha internacional de U$S 5,50 dia ajustada por Paridade de Poder de Compra (PPC) que é a linha mais alta usada na prática no Brasil.


A mudança da pobreza de 2019 a 2021 por Unidade da Federação em pontos percentuais na pandemia, revela que o maior incremento se deu em Pernambuco (8,14 pontos percentuais), e as únicas quedas de pobreza no período foram observadas em Tocantins (0,95 pontos percentuais) e Piauí (0,03 pontos percentuais).

Veja a íntegra do Mapa da Nova Pobreza no País.

IBGE: Amazonas aparece com o segundo maior índice de extrema pobreza em 2020

01

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco + 11 =