Conecte-se conosco

Amazonas

Pesquisadores fazem grave alerta sobre a variante de coronavírus em Manaus

A mutação deveria ser rastreada com cuidado para que medidas possam ser tomadas na prevenção de que se torne predominante no país todo antes da vacinação em massa.

Formas do vírus mais contagiosas surgiram no Reino Unido, na África do Sul, no Brasil e nos EUA

O Observatório Covid-19 BR, iniciativa independente, fruto da colaboração entre 79 pesquisadores, publicou nesta quarta-feria um alerta sobre a variante de coronavírus em Manaus. Diz que o espalhamento rápido de novas variantes do coronavírus SARS-Cov-2 exige que ações sejam tomadas pelos governos, antes que seja tarde demais do ponto de vista epidemiológico.

Segundo o alerta, a nova linhagem encontrada em Manaus apresenta duas mutações importantes, chamadas N501Y e E484K. Apesar de atuarem de forma distinta, ambas fazem com que a entrada do vírus na célula seja facilitada. Essa facilitação tem como consequência o aumento da carga viral dos indivíduos portadores e, dessa forma, da capacidade de transmitir a outra pessoa (transmissibilidade).

De acordo com o documento, a possibilidade da maior afinidade às células humanas resultar em maior transmissibilidade “é bastante alarmante”. A mutação N501Y deveria ser rastreada com cuidado para que medidas possam ser tomadas na prevenção de que se torne predominante no país todo antes da vacinação em massa. A outra mutação, a E484K, possui ainda a provável característica preocupante de permitir a reinfecção em indivíduos que já tiveram contato com o vírus antes, alertam os cientistas.

O documento diz que a combinação das mutações N501Y e E484K pode ser o combustível para um aumento acelerado de novas infecções. “E de forma ainda mais drástica do que já vimos até agora, com maior transmissibilidade e maior carga viral por indivíduo”. Desta forma, os cientistas alertam os gestores a adotar uma resposta à altura dos riscos que representa a evidência da variante de Manaus (nomeada de linhagem P.1) ser a dominante nas amostras da população dessa cidade estudada até o momento.

Segundo o alerta, “é ainda mais preocupante que esta variante tenha sido detectada em um momento de alta vulnerabilidade no país: aumento de aglomerações por ocasião de festas de final de ano, colapso do sistema de saúde em Manaus e a proximidade do retorno às aulas e do carnaval”. É preciso o estabelecimento imediato de uma rede de mapeamento genético do vírus nas pessoas infectadas e “a gravidade da situação e a urgência por medidas preventivas precisam ser levadas a sério”.

Os cientistas dizem que compreender como a nova variante se espalha, ou seja, por quais rotas de contato entre as cidades e os estados, é essencial para orientar a ação do poder público. O estado do Amazonas. Como Manaus está ligada às demais regiões do país por meio de rotas aéreas e o transporte aéreo é o principal meio de contato da população local com o restante do país e também com outras localidades na América como Panamá e Estados Unidos, eles apresentam uma análise da vulnerabilidade dos aeroportos brasileiros a partir dos aeroportos do estado do Amazonas

Veja o documento:

Nota_variantes Manaus