Conecte-se conosco

Amazonas

MPF apura retomada do garimpo ilegal no Rio Madeira, na área de Autazes, Amazonas

Polícia Federal também realizou um estudo técnico sobre a contaminação de mercúrio no Rio Madeira.

Rio Madeira. (Foto: Reprodução)

O Ministério Público Federal disse que, diante de novas denúncias apresentadas a respeito de prática de garimpo ilegal no Rio Madeira, determinou a instauração de procedimento para apuração do caso. De acordo com informações da organização não governamental Greenpeace, após oito meses, as balsas de garimpo ilegal voltaram a ocupar trechos do Rio Madeira, no município de Autazes (AM).

De acordo com o porta-voz de Amazônia do Greenpeace Brasil, Danicley de Aguiar, “o Estado precisa investigar e desmontar a linha de suprimento que garante combustível para o desenvolvimento dessa atividade no Rio Madeira. O óleo diesel que abastece essas balsas não cai do céu.”

Em novembro do ano passado centenas de balsas e dragas atracaram em um trecho do rio. Logo depois, em dezembro de 2021, a Superintendência Regional da Polícia Federal no Amazonas e o IBAMA realizam a Operação Uiara II na região, com o objetivo de identificar e inutilizar as balsas e dragas que operavam a atividade de garimpo ilegal de ouro na calha do Rio Madeira.

A Polícia Federal também realizou um estudo técnico sobre a contaminação de mercúrio no Rio Madeira, que teve início com a coleta de vestígios na região, tais como água, sedimentos, fauna e flora.

Como resultado inicial do estudo, foi elaborado o laudo de perícia criminal, que detectou elevados índices de contaminação por mercúrio na água, no leito do rio, na vegetação e nos seres humanos que habitam as margens do Rio Madeira naquela região.

A Polícia Federal no Amazonas e a Secretaria de Segurança Pública ainda não se manifestaram sobre as novas denúncias.

A informação é da CNN Brasil.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × um =