Conecte-se conosco

Amazonas

Morre Klinger Araújo, um dos mais populares cantores do Amazonas

O ex-governador do Amazonas Amazonino Mendes se referiu ao artista como ‘Furacão do Boi’, como era conhecido, e classificou a morte como uma grande perda para o mundo da arte.

Um dos mais populares artistas de boi bumbá do Amazonas, Klinger Araújo, 51, morreu no início da tarde desta terça-feira, em Manaus, em consequência de complicações renais causadas pela covid-19, no Hospital Samel. O Furacão do Boi como era conhecido é considerado um dos responsáveis pela explosão da toada de Parintins em Manaus, na década de 90.

Sua trajetória artística começou em 1986, quando ele atuava como radialista em Parintins. Alguns anos depois, foi DJ e locutor dos noticiários da emissora local. Já na capital manauara, Klinger também teve passagens por rádios, inclusive em emissoras locais do Pará e do Ceará.

A ascensão do cantor como levantador de toadas aconteceu em 1990, quando ele se apresentou pela primeira vez com o Boi-Bumbá Garantido. Anos depois, Klinger foi convidado para cantar no Boi-Bumbá Caprichoso, onde se firmou nas raízes folclóricas do “boi azulado”.

Autoridades políticas lamentaram a morte do cantor. O ex-governador do Amazonas Amazonino Mendes se referiu ao artista como ‘Furacão do Boi’, como era conhecido, e classificou a morte como uma grande perda para o mundo da arte.

“O mundo da arte e do encantamento da música dos bumbás de Parintins perdeu um ser humano especial e um artista importante que entra para a história do nosso Estado. Lamento e me entristeço com sua morte, e me solidarizo com seus familiares, amigos e milhares de fãs. O Amazonas inteiro reconhece a imensa contribuição de Klinger Araújo, o nosso ‘Furacão do Boi’, para a nossa cultura e a alegria de nosso povo”, disse.

Para o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, o estado perdeu um ícone do folclore amazônico. “Aos 51 anos, Klinger ou o ‘Furacão do Boi’, como era conhecido, deixa a cidade de Manaus e todo o Amazonas de luto e com o coração entristecido. É mais uma vítima dessa doença nefasta e sai de cena, prematuramente, deixando o sentimento de que ele ainda tinha muito a contribuir com nossas manifestações culturais”, disse o prefeito.

O ex-prefeito de Manaus, Alfredo Nascimento, se solidarizou com a família e fãs. “Mais uma vida que se foi por conta desse inimigo invisível, o novo coronavírus. Klinger lutou até o fim para vencer essa doença, mas teve complicações e não resistiu. Oro a Deus para que conforte toda a família e fãs neste momento tão difícil em que não foi possível vencer a batalha contra a Covid-19. Fica o exemplo de um artista que alegrou e encantou milhares de fãs com seu talento e bom humor”, disse Alfredo.

O candidato a prefeito de Manaus, Marcelo Amil, lamentou a morte de Klinger que ocorreu quase seis meses após a morte de outro levantador de toada, Arlindo Júnior. “Depois de nove meses que perdemos o Pop da Selva (Arlindo Júnior), é a vez de dar adeus ao nosso Furação do Boi. É uma notícia que entristece nossos corações. O Klinger Araújo sempre foi uma figura fantástica, um cara alegre e sempre carismático. Ele vivia realmente o Boi Bumbá, não só como profissão, mas como movimento. A arte era uma verdade na vida dele. Que ele descanse em paz, e agora o que fica é a saudade desse grande artista”, disse Amil.

O secretário de Cultura, Marcos Apolo Muniz, manifestou pesar pelo falecimento do antigo colega de trabalho e afirmou que Klinger deixa um legado cultural. “Klinger era uma pessoa extraordinária, que sempre emanava coisas boas. Inspirador, alto astral. Deixa um legado cultural gigante, uma história relacionada à rádio, onde trabalhou durante muito tempo. Trabalhamos juntos em alguns programas de rádio, na Difusora, por exemplo. Um artista inigualável, versátil, irreverente e muito talentoso”, disse o secretário.

Para o ex-deputado estadual David Almeida (Avante), candidato a prefeito, Klinger Araújo foi “um artista da terra que cantou e encantou multidões com a força da sua voz e ganhou respeito com a sua arte, e deste modo, prestou relevantes serviços a cultura do Amazonas como um dos primeiros a levar as toadas de Parintins para o Brasil”.

Já a Associação Folclórica Boi-Bumbá Garantido definiu o cantor como “grande artista parintinense”. “Um dos autores da obra prima do boi do povão, ‘Alma Rubra’, classificou, em nota.

“Klinger foi um trabalhador efetivo da arte de Parintins e durante décadas atuou para divulgar a nossa Cultura. É uma perda inestimável para todos nós! A este ícone da cultura de Parintins, o nosso profundo agradecimento”, divulgou o bumbá.

O deputado estadual Ricardo Nicolau disse que Klinger foi dono de uma trajetória artística da mais absoluta importância para a cultura amazonense, um dos responsáveis por popularizar a toada de Parintins em Manaus e em todo o Brasil, na década de 1990. “Klinger parte deixando a saudade de sua alegria contagiante e o exemplo de profissionalismo, amizade, comprometimento e contribuição para a arte do Boi Bumbá”, disse.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 4 =

Need Help? Chat with us