Conecte-se conosco

Amazonas

Informação e Inteligência tiveram 0,01% dos recursos da Segurança Pública este ano no Amazonas

A Inteligência tem por finalidade subsidiar o gestor na tomada de decisão mais adequada para a preservação da segurança do cidadão e do Estado.

O governo do Amazonas já empenhou R$ 1,6 bilhão na função de Segurança Pública do Estado este ano, até esta quinta-feira (28/07) e só investiu R$ 204 mil em Informação e Inteligência, o que significa 0,01% do total, de acordo com os números no Portal da Transparência do Estado. A dotação orçamentária para a área, este ano, é só de R$ 392 mil.

O conhecimento produzido por intermédio da Inteligência de Segurança Pública tem papel significativo na prevenção criminal por ser capaz de reduzir o emprego abusivo de força nos encontros com o público, além de melhorar a qualidade do trabalho policial.

A Inteligência tem por finalidade subsidiar o gestor na tomada de decisão mais adequada para a preservação da segurança do cidadão e do Estado.

Por isso, é uma ferramenta de combate à criminalidade, principalmente, em ações criminosas com aspectos ocultos que seriam de difícil detecção pelos meios de investigação tradicional.

A gestão do governador Wilson Lima (UB) aumentou 2,2% as despesas na função Segurança Pública entre 2020 e 2021, mas reduziu os gastos na subfunção orçamentárias de Inteligência (61,6%), segundo os números do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

A gestão reduziu pela metade os gastos com Informação Inteligência e aumentou em 4,3 vezes os gastos com comunicação social na no orçamento da Segurança Pública, no ano passado, na comparação com 2020, de acordo com os números da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), no Portal da Transparência do Estado.

Em 2020, o Estado pagou R$ 241,1 mil na subfunção ‘Informação e Inteligência’. Em 2021, o valor caiu para R$ 102 mil, no Fundo de Reserva Para as Ações de Inteligência (Frai), sendo metade, R$ 51 mil, para pagamento de material de consumo.

No Amazonas, a participação das despesas realizadas com a Função Segurança Pública no total das despesas realizadas pelo Estado, que chegou a ser de 11,1% em 2019, caiu para 10,5% em 2020 e para 9,5% em 2021.

Crime

Os números do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, apontaram o Amazonas como o Estado brasileiro com o maior crescimento na taxa de mortes violentas intencionais entre 2020 e 2021.

O número total de roubos cresceu 9%, chegando a 39.043 casos em 2021.
Aumentaram os casos de roubos de veículos (de 1.924 em 2020 para 2.262 em 2021); de roubo e furto de celulares (de 23.193 para 26.585, número abaixo do recorde de 2019, quando foram registrados 27.300 casos); e de estelionato e estelionato por meio eletrônico (de 5.699 para 6.369 – um crescimento de 59,7% com relação a 2018, quando foram registrados 3.812 casos).

Os roubo a estabelecimento comerciais cresceram 7,4% (de 2.137 para 2.329); os roubos a residências cresceram 22,6% (de 979 para 1.218); e os roubos a transeuntes aumentaram 5,6%, chegando a 28.454 em 2021.

O número de roubos a bancos caiu de 3 para 2; e o roubo de cargas aumentou de 20 para 33 (62,6%).

O número de homicídios de mulheres subiu de 68 para 110, sendo que o número de feminicídios passou de 68, em 2020, para 23 em 2021. Os casos de violência doméstica com lesão corporal dolosa passaram de 2.352 para 2.617.

Governo do AM reduz pela metade gastos com Inteligência na Segurança Pública em 2021

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 × 5 =