Conecte-se conosco

Amazonas

Índice Firjan: mais de 50% dos municípios do AM estão em situação financeira crítica

Na Região Norte 45,6% das prefeituras não se sustentam, ou seja, ficaram com nota zero no quesito. No Brasil, 73,9% desses municípios estão em situação fiscal difícil ou crítica.

O Amazonas tem mais da metade dos seus municípios em situação crítica no Índice de Gestão Fiscal da Firjan (IFGF). o estudo que tem como base os dados fiscais oficiais de 2018 e foi divulgado nesta quinta-feira (31), pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). São 35 dos 62 municípios nesta situação. Outro cinco têm situação considerada boa, 21 em situação de dificuldade e apenas um em situação excelente.

A metodologia do IFGF considera os quatro indicadores citados, em que a pontuação adotada varia de 0 a 1 ponto: quanto mais próximo de 1, melhor a situação fiscal do município. Com base neles, cada cidade é classificada nos conceitos:. Gestão de Excelência – resultados superiores a 0,8 ponto; Boa Gestão – resultados entre 0,6 e 0,8 ponto; Gestão em Dificuldade – resultados entre 0,4 e 0,6 ponto e Gestão Crítica – resultados inferiores a 0,4 ponto.

Os indicadores são: a) IFGF Autonomia, que verifica a relação entre as receitas da atividade econômica do município e os custos para manter a Câmara de Vereadores e a estrutura administrativa da Prefeitura; b) IFGF Gastos com Pessoal, que representa quanto os municípios gastam com pagamento de pessoal em relação ao total da Receita Corrente Líquida; c) IFGF Liquidez, que verifica a relação entre o total de restos a pagar acumulados no ano e os recursos em caixa disponíveis para cobri-los no exercício seguinte.

Dentre 5.337 municípios brasileiros analisados, Costa Rica (MS), Gavião Peixoto (SP), São Pedro (SP) e Alvorada (TO) foram os únicos que receberam notas máximas em todos os indicadores do IFGF. Do total de municípios analisados, 47% estão em situação crítica de gestão fiscal e usam menos de 3% do orçamento em investimentos. Apenas 419 municípios, cerca de 15% das cidades usaram mais de 12% da receita total em investimentos.

A conclusão é que 73,9% desses municípios estão em situação fiscal difícil ou crítica. São 3.944 cidades nesta condição. Ainda entre os municípios analisados, 1.856 não se sustentam. A falta de condições de financiar a estrutura administrativa com recursos da economia local; a elevada rigidez do orçamento das prefeituras, sobretudo, com gastos com pessoal; e as dificuldades para o cumprimento das obrigações financeiras e de gerar bem-estar e competitividade por meio de investimentos foram os principais problemas identificados.

No Nordeste 71% e no Norte 45,6% das prefeituras não se sustentam, ou seja, ficaram com nota zero no quesito. O desempenho melhor se verifica apenas em 3,2% das cidades nordestinas e 6,1% do do norte. Na região Sul, 6,6% dos municípios receberam zero no indicador, no Centro-Oeste 16,4% e 18,6% no Sudeste.

Na visão dos economistas da entidade, a baixa geração de receita dentro do município explica disparidades regionais. No Nordeste e no Norte a receita local líquida por pessoa é um terço da gerada nas outras regiões. A menor é no Nordeste (R$ 298) enquanto a mais elevada é no Sul (R$1.294).

Veja as notas dos municípios do Amazonas.

 

POSIÇÃO DOS MUNICÍPIOS DO AMAZONAS NO RANKING DO IFGF
NACIONAL ESTADUAL IFGF MUNICÍPIO
207º 0.8022 Manaus
854º 0.6693 Itamarati
1159º 0.6284 Humaitá
1170º 0.6270 Canutama
1237º 0.6178 Carauari
1276º 0.6142 Silves
1814º 0.5557 Juruá
1823º 0.5549 Codajás
1892º 0.5471 Presidente Figueiredo
2011º 10º 0.5347 Coari
2027º 11º 0.5329 São Sebastião do Uatumã
2059º 12º 0.5296 Rio Preto da Eva
2140º 13º 0.5217 Anamã
2221º 14º 0.5103 Nova Olinda do Norte
2287º 15º 0.5017 Urucará
2450º 16º 0.4835 Urucurituba
2555º 17º 0.4710 Manacapuru
2694º 18º 0.4549 Manaquiri
2756º 19º 0.4479 Maraã
2759º 20º 0.4477 Parintins
2850º 21º 0.4364 Nhamundá
2888º 22º 0.4325 Anori
2927º 23º 0.4284 Benjamin Constant
2929º 24º 0.4280 Apuí
3035º 25º 0.4149 Manicoré
3103º 26º 0.4078 Novo Aripuanã
3109º 27º 0.4071 Itapiranga
3207º 28º 0.3953 Tonantins
3216º 29º 0.3950 Envira
3294º 30º 0.3844 Guajará
3316º 31º 0.3824 Iranduba
3360º 32º 0.3791 Itacoatiara
3419º 33º 0.3725 Novo Airão
3485º 34º 0.3656 Autazes
3549º 35º 0.3588 Santa Isabel do Rio Negro
3655º 36º 0.3438 Amaturá
3671º 37º 0.3408 Santo Antônio do Içá
3705º 38º 0.3374 Borba
3707º 39º 0.3372 Ipixuna
3732º 40º 0.3344 Maués
3807º 41º 0.3248 Caapiranga
3811º 42º 0.3239 Japura
3812º 43º 0.3236 Tefé
3906º 44º 0.3133 Careiro da Várzea
4006º 45º 0.3006 Careiro
4013º 46º 0.2999 Tabatinga
4035º 47º 0.2975 São Paulo de Olivença
4044º 48º 0.2956 Jutaí
4118º 49º 0.2857 Uarini
4127º 50º 0.2847 Barreirinha
4139º 51º 0.2832 Alvarães
4190º 52º 0.2748 Pauini
4329º 53º 0.2549 Tapauá
4410º 54º 0.2443 Eirunepé
4537º 55º 0.2267 Boca do Acre
4545º 56º 0.2258 Boa Vista do Ramos
4762º 57º 0.1910 Barcelos
4863º 58º 0.1684 Beruri
4936º 59º 0.1548 São Gabriel da Cachoeira
4996º 60º 0.1429 Fonte Boa

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 − 1 =