Conecte-se conosco

Amazonas

IBGE: Amazonas manteve nível de produção industrial em novembro

A produção industrial recuou em 11 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE, na passagem de outubro para novembro de 2019.

O Amazonas manteve o nível de produção industrial em outubro e novembro de 2019 e registrou alta de 11,5% na comparação com novembro de 2018, segundo a Pesquisa Industrial Mensal, divulgada nesta terça-feira, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado de janeiro a novembro, a indústria no Estado cresceu 3,5%. E 2,2% no acumulado dos 12 meses anteriores.

Algumas atividades da indústria local tiveram bom resultado em novembro, em relação a outubro de 2019, e contribuíram para o desempenho apresentado pela indústria amazonense. As principais atividades foram a impressão e reprodução de gravações (276%) (DVDs e discos), que teve percentual fora da curva, devido à alta, após longa série de quedas na produção; a fabricação de máquinas e equipamento (39,8%); a fabricação de bebidas (22%).

Ainda na comparação entre novembro de 2019 e outubro do mesmo ano, três atividades tiveram desempenho negativo, a indústria extrativa (-4,7%) (óleo bruto de petróleo); a fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (-11,3%) (gás natural) e a fabricação de máquinas e equipamentos e materiais elétricos (-2,9%) (conversores, alarmes, condutores e baterias).

Considerando a variação percentual acumulada no ano (janeiro a novembro), as atividades industriais que tiveram maiores crescimentos foram a fabricação de máquinas e equipamento (39,3%); a fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (11,9%) (gás natural); e a fabricação de outros equipamentos de transportes (7,5%) (motocicletas e suas peças).

A produção industrial recuou em 11 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE, na passagem de outubro para novembro de 2019. A maior queda foi observada no Paraná (-8%). Outros locais que tiveram queda acima da média nacional (-1,2%) foram o Espírito Santo (-4,9%), Pernambuco (-4,1%), a Bahia (-3,5%), Minas Gerais (-3,4%), São Paulo (-2,6%), Goiás (-2,1%), o Pará (-1,8%) e Rio Grande do Sul (-1,5%). Também tiveram queda a Região Nordeste (-1%) e Santa Catarina (-0,4%).

Por outro lado, três estados tiveram alta na produção no período: Rio de Janeiro (3,7%), Ceará (3,4%) e Mato Grosso (2,7%).

Na comparação com novembro de 2018, houve quedas em dez locais, com destaque para o Espírito Santo (-24,3%). Cinco locais tiveram alta. Os maiores crescimentos na produção foram registrados no Rio de Janeiro (13,3%), Amazonas (11,5%) e em Goiás (10,3%).

No acumulado de 12 meses, foram registradas quedas em oito locais. O Espírito Santo também foi o destaque negativo nesse tipo de comparação, ao recuar 13,5%. Sete locais tiveram alta, com destaque para o Paraná (5%).

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

doze − nove =