Conecte-se conosco

Amazonas

Grupo faz manifestação e cobra de Wilson Lima convocação de concursados para a Polícia Militar

Manifestantes alegam que cem candidatos estão prejudicados no concurso da PM de 2011

Grupo cobra convocação na frente da sede do Governo do Amazonas

Um grupo de concursados da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM), do certame de 2011, realizou uma manifestação na frente da sede do Governo do Estado, bairro Compensa II, zona oeste de Manaus, nesta quarta-feira (13/10), reivindicando que o governador Wilson Lima (PSC) convoque cerca de cem candidatos para ingresso na corporação.

Segundo o presidente da Associação dos Aprovados do Concurso da Polícia Militar do Estado do Amazonas (AACPM-AM), Hudson Rodrigues, a Justiça do Amazonas determinou, no dia 24 de setembro, que sejam convocados aproximadamente 1,5 mil candidatos vinculados à ACPM-AM (Associação dos Concursados da Polícia do Amazonas) para a próxima fase do certame de admissão ao cargo de soldado. Todavia, Hudson Rodrigues explica que os cem associados da AACPM-AM estão com maior pontuação e ficaram de fora do chamamento para a polícia.

“Nós estamos, aqui, na sede do governo reivindicando que nós sejamos colocados dentro da convocação que foi determinada pela Justiça em chamar mais de 1,5 mil candidatos que fizeram concurso, mas estão com menos pontuações que nós. Fizemos 28, 27 pontos, e têm mais de mil candidatos com menos pontos colocados nesta convocação que foi sentenciada semana passada. Nós viemos para frente do governo para sentar com o governador para que sejamos colocados junto com o pessoal, porque na época eles tiraram a gente de dentro do processo e prejudicou a ge0nte”, explicou Hudson.

Hudson informou que a associação na qual representa conta com cem concursados dos municípios de Eirunepé, Tefé, Coari, Lábrea, Itacoatiara, Canutama, Humaitá, Parintins, Rio Preto da Eva e Manacapuru. “Em todos esses municípios,tivemos candidatos com boa pontuação, mas não estão contemplados nesta convocação (determinada pela Justiça)”, frisou.

Alexandre Matias, um dos concursados do certame de 2011, disse que os candidatos que pagaram cerca de R$ 22 mil para um escritório de advocacia foram chamados na primeira convocação realizada pelo Governo do Amazonas. “Já entraram 400 (candidatos) e a próxima chamada será de mil e quinhentos candidatos. E quem não pôde pagar os R$ 22 mil está sendo excluído do processo, por isso, estamos fazendo uma manifestação para mostrar os bastidores do que está ocorrendo na Polícia Militar”, disse Alexandre.

Há um ano, o governador Wilson Lima assinou o ato de convocação de mais 50 candidatos aprovados no concurso de 2011 da Polícia Militar do Amazonas. Segundo o governo, foi o terceiro chamamento feito pelo governador em 2020, totalizando 382 novos policiais militares encaminhados para o curso de formação de soldados.

Em nota, a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) ressaltou que “quanto ao chamamento dos aprovados no concurso público da Polícia Militar de 2011, o Governo do Amazonas informa que a convocação seguiu todos os parâmetros legais estabelecidos no edital do certame”.

1 Comentário

Faça um comentário

1 Comentários

  1. Hudson Responder

    Eles nao estao falando a verdade do porque nao foram convocados! Eles nao foram convocados porque fizeram o concurso fora do limite de idade que era previsti no edital na época. Entao quem esta ganhando na justiça sao os candidatos que estao dentro dos parâmetros do edital na época! Entao esses 100 estao fora da idade e nao tem direito algum.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2019-2021 - 18 Horas - Todos os direitos reservados.
Rede de Rádio Difusão Novidade Técnica LTDA
34.503.722/0001-80