Conecte-se conosco

Amazonas

Em protesto, motoristas cobram de Wilson Lima melhorias e conclusão das obras da AM-010

Obra milionária da rodovia é alvo de investigação no Ministério Público Federal

Motoristas profissionais paralisaram o tráfego na rodovia em manifestação

Motoristas de Itacoatiara, Silves, Itapiranga, protestaram nesta segunda-feira (28/03), no quilômetro 169 da rodovia AM-010, contra as más condições da estrada que liga a capital do Amazonas aos municípios. A estrada é objeto de obra de reforma por parte do Governo Wilson Lima, e que vai custar R$ 366 milhões, sendo R$ 214,9 milhões do governo federal e R$ 151 milhões do Estado do Amazonas.

A obra, inclusive, já é alvo de investigação no Ministério Público Federal (MPF) para apurar as eventuais irregularidades. O contrato do serviço é do Consórcio AM-010, formado pelas empresas Pomar Comércio de Derivados de Petróleo e Construção Eireli (50%), Compasso Construções, Terraplanagem e Pavimentação Ltda. (10%), Iza Construções e Comércio Eireli (10%), Ecoagro Comércio e Serviços Ambientais Ltda. (20%) e Best Transportes e Construção Ltda. (10%).

Segundo o taxista intermunicipal Gibson Melo, a manifestação se deu em razão das péssimas condições de trafegabilidade da rodovia que liga Manaus a Itacoatiara e pelo descaso por parte do Governo do Amazonas. “Que comecem os trabalhos novamente para começar a nossa estrada. Mesmo com chuva, há condição de ser realizado o serviço”, disse o profissional.
Gibson Melo ressaltou que o Governo do Amazonas precisa tratar as pessoas que trafegam pela rodovia com maior respeito. “Nós estamos levando muito acidente, muito roubo, aqui. Os prejuízos são enormes. Precisamos que o governo nos trate com melhor respeito”, frisou.

Em live realizada pelo Portal Jaraqui, o profissional autônomo Alan Delon, informou que diversas associações se reuniram para cobrar por melhorias da estrada pelo fim, o qual ele classificou de “descaso” contra os moradores. “Estamos tirando quase quatro horas de viagem de Itacoatiara para Manaus. Nós pedimos que alguém do governo venha conversar. Ninguém dá ideia de quando vai começar (a obra) ou pelo menos tapar os buracos. Não há mais condições. Nossa associação tem 15 carros. Estamos com seis quebrados”, comentou o taxista.

Esta é a quarta manifestação realizada pelos motoristas. Os profissionais informaram que só vão liberar a rodovia por completo depois de algum representante do Governo do Amazonas chegar até o local para conversar com os motoristas. Apenas veículos em emergência estão passando no trecho interditado pela manifestação.

Mais informações em instantes.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

nove − um =