Conecte-se conosco

Amazonas

Deputado Dermilson Chagas denuncia falta de organização nos concursos públicos no Amazonas

O deputado Dermilson Chagas disse que recebeu recebeu por meio de suas redes sociais denúncia de que a Fundação Getúlio Vargas (FVG) está apresentando falhas na organização dos concursos públicos estaduais.

O deputado Dermilson Chagas (Republicanos) recebeu denúncia que a Fundação Getúlio Vargas (FVG) está apresentando falhas na organização dos concursos públicos estaduais. Além de prejudicar mais de 20 mil candidatos inscritos no concurso da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), que não conseguiram realizar as provas porque o endereço estava errado no cartão de confirmação, a FVG está incorrendo nos mesmos erros no concurso para provimento de cargos na Secretaria de Estado da Fazenda do Amazonas (Sefaz-AM).

O deputado Dermilson Chagas disse que recebeu recebeu por meio de suas redes sociais denúncia de que a Fundação Getúlio Vargas (FVG) está apresentando falhas na organização dos concursos públicos estaduais. Além de prejudicar mais de 20 mil candidatos inscritos no concurso da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), que não conseguiram realizar as provas porque o endereço estava errado no cartão de confirmação, a FVG está incorrendo nos mesmos erros no concurso para provimento de cargos na Secretaria de Estado da Fazenda do Amazonas (Sefaz-AM).

De acordo com várias denúncias que o deputado Dermilson Chagas recebeu por meio de suas redes sociais, a FVG não informou até a presente data quais serão os endereços dos locais de realização das provas, que estão marcadas para acontecerem nos dias 7 (sábado) e 8 (domingo) de maio.

O deputado Dermilson Chagas ressaltou que, em recente entrevista à imprensa, o secretário estadual de Segurança Pública, general Carlos Alberto Mansur, disse que os candidatos dos próximos concursos (da Sefaz-AM, do Corpo de Bombeiros, da SSP-AM e da Polícia Civil) devem fazer o reconhecimento do local das provas com pelo menos um dia de antecedência.Porém, faltando apenas 10 dias para acontecer a primeira prova do concurso da Sefaz-AM, a FGV não informa os locais das provas para os candidatos e nem mesmo para a Sefaz-AM, que é o órgão-alvo do concurso e que tem o interesse de divulgar para os candidatos inscritos os dados oficiais referentes aos endereços.

O deputado Dermilson Chagas disse que as pessoas que fizeram as denúncias sobre a falta de organização da FGV nos concursos estaduais ressaltaram que os problemas da banca organizadora em concursos de outros estados já eram conhecidos do Governo do Amazonas, entretanto, mesmo assim, a FGV foi escolhida.

“Esse é um problema que poderia ter sido evitado. O que estamos assistindo é a repetição dos mesmos erros de uma instituição cujo trabalho está deixando a desejar e, o pior de tudo, está prejudicando mais de 20 mil candidatos do concurso da PM e milhares de outros da Sefaz-AM”, enfatizou o deputado Dermilson Chagas.

Desorganização dificulta

Os altos salários da Secretaria de Fazenda do Amazonas são fortes atrativos para candidatos do Brasil inteiro. Muitos, por falta de recursos financeiros, chegam na véspera da prova, não tendo a oportunidade de fazer o monitoramento da área, que foi sugerido pelo secretário da SSP-AM, general Carlos Alberto Mansur.

Outros candidatos, para não se perderem na metrópole manauara e evitar atraso, escolhem hotéis nas proximidades dos locais da prova. Como os endereços não foram divulgados até hoje, os candidatos estão sendo obrigados a escolher hotéis de forma aleatória.

Desorganização dificulta

Os altos salários da Secretaria de Fazenda do Amazonas são fortes atrativos para candidatos do Brasil inteiro. Muitos, por falta de recursos financeiros, chegam na véspera da prova, não tendo a oportunidade de fazer o monitoramento da área, que foi sugerido pelo secretário da SSP-AM, general Carlos Alberto Mansur.

Outros candidatos, para não se perderem na metrópole manauara e evitar atraso, escolhem hotéis nas proximidades dos locais da prova. Como os endereços não foram divulgados até hoje, os candidatos estão sendo obrigados a escolher hotéis de forma aleatória.

“A falta da informação com antecedência prejudica a todos. E o pior, o Estado, que é o contratante do serviço, não está exigindo que a instituição cumpra a sua parte no contrato, fornecendo os dados. O Amazonas, mesmo pagando muito bem à FGV, continua sendo condescendente com as falhas. Isso deixa uma pergunta no ar: ‘Qual o motivo de tanta tolerância?’”, indagou o deputado Dermilson Chagas.

Clique para comentar

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um × 5 =